icons.title signature.placeholder Felipe Domingues
10/07/2014
01:30

Nem tudo são flores na organização do Pan-Americano de 2015. Um escândalo em gastos, orçamentos "confusos" e até mesmo a demissão do ex-presidente do Comitê Organizador, Ian Troop, encabeçam a lista de problemas do Pan.

O orçamento para os Jogos foi fixado em US$ 1,4 bilhões (cerca de R$ 2,668 bilhões). Como comparação, o Pan do Rio de Janeiro, em 2007, havia, até então, sido o mais caro da história, fechando seus custos em R$ 3,7 bilhões (cerca de US$ 1,940 bilhões, com a conversão de julho de 2007). Porém, os gastos em Toronto "inflaram", com os custos da Vila dos Atletas, transportes e segurança, subindo para US$ 2,5 bilhões (mais de R$ 4,7 bilhões).

- É injusto sugerir que esses são os Jogos mais caros. Temos três níveis de governo e três universidades dividindo esse orçamento para entregar Jogos de excelência. O orçamento de US$ 1,4 bilhões, ou US$ 2,5 bilhões, está igual ou muito abaixo de eventos multiesportivos ou de um único esporte que são sediados hoje - comentou Saad Rafi, presidente do Comitê Organizador do Pan, em entrevista exclusiva ao LANCE!.

Além dos problemas de orçamento, o Comitê viveu outro escandâlo. Em dezembro de 2013, seu então presidente, Ian Troop, foi demitido, devido ao excesso de gastos. De acordo com a imprensa canadense, Ian declarava custos como, por exemplo, de um chá de US$ 1,89 (R$ 4,19) até um jantar em um restaurante por US$ 8,561.19 (R$ 18,957.90). Seu salário, à época, era de US$ 477 mil por ano, mais de R$ 1 milhão.

- Ian Trop representa a cultura do benefício e desrespeito com os contribuintes, que persiste por muitos dentro do governo. Ele foi demitido porque liderou um time de executivos que cobravam dos contribuintes coisas triviais - comentou, em entrevista ao LANCE!, Candice Malcolm, diretora da Federação de Contribuintes Canadenses, em Ontario, província onde se encontra a cidade de Toronto.

Há quem defenda que a escolha de sediar os Jogos foi um erro por parte de Toronto, visto que a província não vive um bom momento financeiro. Em conversa com o Ministro de Esporte, Cultura e Turismo de Ontario, o LANCE! apurou que a cidade pensa no legado, mesmo com os problemas que atravessa.

- Nós entendemos que sediar os Jogos Pan-Americanos é caro, mas vemos o investimento em Ontario e isso é mais uma contribuição do que um problema.  É claro, vai nos custar algum dinheiro, mas no final do dia, os empregos, as serventias para a população, o desenvolvimento em infraestrutura e fortalecer a próxima geração atletas do Canadá é a relação mais fácil que podemos fazer como benefícios - disse o Ministro Michael Coteau.

Para Candice, responsável por "cuidar" do pagamento dos impostos da população de Ontario, a situação vai além dos erros no orçamento ou dos gastos excessivos de Ian Troop, ela alega um problema cultural de seus governantes.

- O governo de Ontario tem uma reputação de calcular mal o custo de grandes projetos que são cobrados dos contribuintes. Os Jogos Pan-Americanos são um exemplo disso. O público foi mal dirigido. O governo provincial de Ontario deve ser mais transparente e honesto com os contribuintes quando aos custos que eles terão - comentou Candice.

Se os Jogos terão um desfecho positivo, é impossível saber, mas ao menos é a aposta que faz Saad Rafi.

- Alguns meios de comunicação não são necessariamente à favor dos Jogos, mas isso é compreensível. É o nosso trabalho deixar as pessoas dessa região e os canadenses felizes com os Jogos e orgulhosos de serem sede e mostrar o que têm à oferecer – completou Saad. 

Confira um panorama geral dos Jogos:

Locais:
Os Jogos Pan-Americanos de Toronto acontecerão em 16 municípios ao redor de Ontario (Província onde está localizada Toronto) e terão 25 instalações para os eventos, sendo 10 novas e 15 já existentes, além de 6 novos locais para treinos.

Atletas:
A cidade receberá mais de 7,6 mil atletas de 40 países diferentes, da América do Sul, Central e do Norte.

Esportes:
Toronto sediará 36 competições no Pan e 15 no Para-Pan. Desses 36, 28 são esportes olímpicos e 18 darão vagas à Olimpíada do Rio, em 2016. No Para-Pan, todos os esportes são olímpicos e classificam ao Rio.

Empregos:
Os Jogos em Toronto irão gerar mais de 26 mil empregos na região de Ontario, com projetos que vão de transporte e segurança, até a própria construção das arenas, além de 23 mil voluntários.

Turismo e transmissão:
Os Jogos levarão à cidade um número aproximado de 250 mil turistas adicionais. Aos que não puderem visitar Toronto, a Organização estima que atingirá mais de 380 milhões de lares, com a transmissão do evento.

Eventos-teste:
Toronto irá realizar 45 eventos-teste, separados em 16 municípios ao redor de Ontario e mais de 12 mil atletas.