icons.title signature.placeholder Caio Carrieri
icons.title signature.placeholder Caio Carrieri
23/07/2013
07:10

Palmeirense desde a infância, o atacante Leandro deve ter o privilégio de realizar o sonho que os torcedores gostariam de alcançar: jogar pelo Verdão em 2014, ano em que o clube celebrará o centenário.

Ao ter o jovem de 20 anos como uma das contrapartidas pela ida de Barcos para o Grêmio (relembre o caso abaixo), o Palmeiras assegurou em contrato a prioridade unilateral de renovar por mais uma temporada o empréstimo do jogador, que se encerra no fim de dezembro.

Rui Costa, diretor-executivo gremista, confirma a existência desta cláusula no compromisso firmado entre os clubes, em fevereiro.
O Verdão não terá de desembolsar dinheiro ao clube gaúcho para garantir a permanência do camisa 38. A única manobra que deve acontecer é o reajuste salarial do atleta.

E MAIS:
> Entrave salarial pode brecar renovação do Verdão com Fernandinho
> De saída, Tiago Real e Weldinho se despedem dos companheiros

Caso o Grêmio peça o retorno da sua revelação, terá de arcar com uma multa. Se vendê-la para outra agremiação, o Palmeiras receberá 15% do valor, o percentual de vitrine. E se o presidente Paulo Nobre aprovar a compra definitiva do jogador, o preço seguirá em 5 milhões de euros (R$ 14,7 milhões) até o fim de 2014.

Leandro já admitiu o desejo de permanecer no Palestra Itália no ano que vem. E diversas razões motivam o atacante: no Verdão ele virou titular rapidamente, e no Grêmio era preterido pelo então treinador Vanderlei Luxemburgo. Suas atuações com a camisa alviverde o levaram pela primeira vez para a Seleção. Representar o clube não é só um desejo dele, mas motivo de muita felicidade e realização do pai, Carlos Aberto de Moura, palmeirense fanático.

O contentamento também se estende ao técnico Gilson Kleina, já que Leandro é do elenco quem tem mais participações nos gols do time em 2013: são 15, com nove gols e seis assistências. Ele é o artilheiro do grupo e o terceiro maior garçom, ficando atrás apenas do volante Wesley, que tem oito passes, e do parceiro de ataque Vinicius, com sete.

Sobre os outros ex-gremistas, Rui Costa diz que o Palmeiras quer ficar com Léo Gago e Vilson. Rondinelly tem pouco espaço no Verdão.

Relembre a troca

Vai Barcos, vêm quatro
Para liberar para o Grêmio o então candidato a ídolo da torcida, a diretoria do Palmeiras recebeu como contraproposta os empréstimos de Leandro, Léo Gago, Vilson e Rondinelly até o fim do ano. O Verdão ainda recebeu R$ 4 milhões do clube gaúcho, que arcou com duas dívidas que eram do Palmeiras: R$ 1,3 milhão para a LDU (EQU), ex-clube do Pirata, e R$ 1 milhão para o centroavante.

O Palmeiras ainda ficou com 15% dos direitos econômicos do jogador argentino e 15% de Marcelo Moreno, atacante boliviano que estava na mira do Alviverde, mas não aceitou a proposta palmeirense e atualmente defende as cores do Flamengo. A troca revoltou torcedores alviverdes.

Veja como está a situação dos outros ex-gremistas

Léo Gago
Titular no Paulistão, operou o tornozelo direito e deverá ficar pelo menos mais um mês afastado dos campos. Está emprestado até o final do ano e o Palmeiras já manifestou interesse em aumentar o vínculo.

Vilson
Emprestado até o final do ano, mas o caso é diferente. Como o vínculo com o Grêmio acabará em dezembro, ficará livre para assinar com o Verdão por mais tempo, o que é quase certo. Atua com frequência como titular.

Rondinelly
Também está emprestado até o final do ano, mas deverá retornar ao clube gaúcho ao término do vínculo. Fez apenas dois jogos desde que chegou e nunca é relacionado.



Palmeirense desde a infância, o atacante Leandro deve ter o privilégio de realizar o sonho que os torcedores gostariam de alcançar: jogar pelo Verdão em 2014, ano em que o clube celebrará o centenário.

Ao ter o jovem de 20 anos como uma das contrapartidas pela ida de Barcos para o Grêmio (relembre o caso abaixo), o Palmeiras assegurou em contrato a prioridade unilateral de renovar por mais uma temporada o empréstimo do jogador, que se encerra no fim de dezembro.

Rui Costa, diretor-executivo gremista, confirma a existência desta cláusula no compromisso firmado entre os clubes, em fevereiro.
O Verdão não terá de desembolsar dinheiro ao clube gaúcho para garantir a permanência do camisa 38. A única manobra que deve acontecer é o reajuste salarial do atleta.

E MAIS:
> Entrave salarial pode brecar renovação do Verdão com Fernandinho
> De saída, Tiago Real e Weldinho se despedem dos companheiros

Caso o Grêmio peça o retorno da sua revelação, terá de arcar com uma multa. Se vendê-la para outra agremiação, o Palmeiras receberá 15% do valor, o percentual de vitrine. E se o presidente Paulo Nobre aprovar a compra definitiva do jogador, o preço seguirá em 5 milhões de euros (R$ 14,7 milhões) até o fim de 2014.

Leandro já admitiu o desejo de permanecer no Palestra Itália no ano que vem. E diversas razões motivam o atacante: no Verdão ele virou titular rapidamente, e no Grêmio era preterido pelo então treinador Vanderlei Luxemburgo. Suas atuações com a camisa alviverde o levaram pela primeira vez para a Seleção. Representar o clube não é só um desejo dele, mas motivo de muita felicidade e realização do pai, Carlos Aberto de Moura, palmeirense fanático.

O contentamento também se estende ao técnico Gilson Kleina, já que Leandro é do elenco quem tem mais participações nos gols do time em 2013: são 15, com nove gols e seis assistências. Ele é o artilheiro do grupo e o terceiro maior garçom, ficando atrás apenas do volante Wesley, que tem oito passes, e do parceiro de ataque Vinicius, com sete.

Sobre os outros ex-gremistas, Rui Costa diz que o Palmeiras quer ficar com Léo Gago e Vilson. Rondinelly tem pouco espaço no Verdão.

Relembre a troca

Vai Barcos, vêm quatro
Para liberar para o Grêmio o então candidato a ídolo da torcida, a diretoria do Palmeiras recebeu como contraproposta os empréstimos de Leandro, Léo Gago, Vilson e Rondinelly até o fim do ano. O Verdão ainda recebeu R$ 4 milhões do clube gaúcho, que arcou com duas dívidas que eram do Palmeiras: R$ 1,3 milhão para a LDU (EQU), ex-clube do Pirata, e R$ 1 milhão para o centroavante.

O Palmeiras ainda ficou com 15% dos direitos econômicos do jogador argentino e 15% de Marcelo Moreno, atacante boliviano que estava na mira do Alviverde, mas não aceitou a proposta palmeirense e atualmente defende as cores do Flamengo. A troca revoltou torcedores alviverdes.

Veja como está a situação dos outros ex-gremistas

Léo Gago
Titular no Paulistão, operou o tornozelo direito e deverá ficar pelo menos mais um mês afastado dos campos. Está emprestado até o final do ano e o Palmeiras já manifestou interesse em aumentar o vínculo.

Vilson
Emprestado até o final do ano, mas o caso é diferente. Como o vínculo com o Grêmio acabará em dezembro, ficará livre para assinar com o Verdão por mais tempo, o que é quase certo. Atua com frequência como titular.

Rondinelly
Também está emprestado até o final do ano, mas deverá retornar ao clube gaúcho ao término do vínculo. Fez apenas dois jogos desde que chegou e nunca é relacionado.