icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
13/11/2014
08:03

O atacante Gabriel Fernando, artilheiro do Campeonato Paulista Sub-17, já desperta interesse de outros clubes e de investidores. Por isso, o Palmeiras tenta renovar seu contrato (termina no fim de 2015) e aumentar a multa (hoje é de R$ 3 milhões) antes de promovê-lo de forma definitiva ao profissional. A missão não é fácil.

O clube ofereceu um vínculo nos mesmos moldes do que o lateral-direito João Pedro assinou logo depois de virar titular com Dorival Júnior, com "salário de jogador da base" e sem o pagamento de luvas. O estafe do goleador de 17 anos fez uma contraproposta, pedindo vencimentos maiores e luvas. Mas o clube não deseja dar ao prodígio benefícios que nem os garotos que já são titulares receberam.

Um grupo de investidores se ofereceu para pagar o valor das luvas e, em troca, receber uma parte dos direitos econômicos do atleta. Pela proposta, o Palmeiras, que hoje é dono de 80%, ficaria apenas com 25% – o próprio garoto é dono de 20%. A diretoria não topou. Fábio Caran, empresário do atleta, espera se reunir na segunda-feira com a diretoria para dar sequência ao papo.

Chegou ao ouvido de dirigentes do Verdão que o São Paulo estaria disposto a pagar a multa rescisória e as luvas desejadas pelo jogador, assim como um clube de Portugal. Mas a ordem é a de "não fazer loucuras".

Com 34 gols em 19 jogos, Gabriel Fernando é o grande destaque do Paulista Sub-17. O Palmeiras está nas semifinais contra o próprio São Paulo e venceu o primeiro jogo por 2 a 1 no sábado passado, em Cotia. Os gols? Ambos de Gabriel Fernando.

Ele tem 15 tentos a mais que os vice-artilheiros da competição e será titular no jogo de volta, sábado, na Rua Javari. Com campanha melhor, o Verdão pode até perder por um gol de diferença para se classificar à final, contra Santos ou Red Bull. A familiares, o jogador manifestou o desejo de permanecer no Palmeiras, já que vislumbra a chance de ser promovido no ano que vem.