icons.title signature.placeholder Caio Carrieri e Fellipe Lucena
24/04/2014
16:32

O Tribunal de Justiça de São Paulo reverteu, em segunda instância, a decisão que obrigava a Rede Globo a depositar valores mensais em juízo para ressarcir Antenor Angeloni, presidente do Criciúma e fiador do Palmeiras na contratação de Wesley. O parecer não é definitivo e ainda cabe recurso.

Angeloni foi avalista da negociação com o Werder Bremen, em 2012, e não foi ressarcido. No processo, a cobrança é de R$ 21 milhões, valor total da contratação. A ação bloqueou parte do dinheiro que o Verdão receberia da emissora pela venda dos direitos de transmissão de jogos.

A verba congelada também impedia o clube de ter um fundo de R$ 54 milhões. A ideia é utilizá-la como garantia na operação, o que pode ser feito agora. Mesmo que a decisão ainda não seja definitiva, o Palmeiras pode usar o dinheiro. Em caso de nova decisão contrária, outras cotas podem ser bloqueadas.

Wesley tem vínculo com o Alviverde até fevereiro de 2015, e a partir de agosto deste ano já pode assinar um pré-contrato com outro clube, sem compensação financeira ao Palmeiras. As partes negociam a possibilidade de renovação e afirmam que a pendência com o presidente do Criciúma não interfere nas conversas.