icons.title signature.placeholder Caio Carrieri
01/03/2014
07:06

O Palmeiras deu mais um passo importante para comprar Alan Kardec em definitivo: entrou em acordo com o Benfica (POR) sobre forma de pagamento dos 4 milhões euros (cerca de R$ 13 milhões) necessários para adquirir o atacante. A próxima etapa é chegar a um acerto salarial com o jogador – as conversas já começaram – e, enfim, exercer a preferência de compra depositando o dinheiro. O prazo se encerra em 31 de maio, embora o empréstimo vá até o dia 30 de junho.

A intenção da diretoria é fazer um vínculo longo com Kardec, de quatro ou cinco temporadas. Leandro estava em situação semelhante no início de janeiro, e o Alviverde fechou operação com o Grêmio. O acordo firmado com o atleta foi por quatro anos.

O staff do camisa 14 diz que não fará grandes exigências para ele permanecer no Palestra Itália. O contrato de produtividade, política adotada pelo presidente Paulo Nobre desde meados de 2013, é bem visto.

Como o Benfica não cobrou nada pela cessão do jogador, atualmente o Palmeiras já arca integralmente com os vencimentos dele.

Para obter os direitos econômicos de Alan Kardec, o Verdão deve utilizar o dinheiro da venda do ex-capitão Henrique para o Napoli (ITA) – cerca de 3,2 milhões de euros – e outras receitas. O clube procura investidores para completar o valor total.

Grande destaque palmeirense no ano do centenário, o centroavante é muito elogiado por toda a comissão técnica e integrantes da diretoria. Gilson Kleina sempre exalta a técnica aliada à versatilidade tática de um dos principais nomes do elenco. Em entrevista ao LANCE!Net na última quarta-feira, Paulo Nobre se mostrou otimista em obter sucesso nas tratativas pelo goleador alviverde.

Artilheiro do time no Paulista com seis gols marcados em dez jogos, é o vice no ranking geral do torneio.  Kardec tem no clube sua melhor média na carreira – bem acima em comparação às de Vasco, Santos e Benfica, clubes pelos quais marcou.

No Verdão, ele já fez 20 gols em 39 partidas (um a cada dois jogos) e é cada vez mais decisivo. No Rio, com o segundo melhor desempenho, Kardec balançava a rede uma vez a cada quatro apresentações, em média.

Nem mesmo após o sonho de vestir a camisa da Seleção Brasileira não se tornar realidade ele diminuiu o ritmo. Na quinta, iniciou a vitória por 2 a 0 sobre o São Bernardo.