icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/06/2014
19:46

Adversários nas oitavas de final da Copa do Mundo, Colômbia e Uruguai fazem das concidências as suas principais diferenças para o jogo deste sábado, às 17h, no Maracanã. Se os colombianos chegaram ao Mundial sabendo que não poderiam contar com Falcao García, os uruguaios mantinham a esperança na recuperação de Luis Suárez. Agora, porém, tanto a certeza, quanto a dúvida acabaram trocarando de lado.

A seleção da Colômbia, que avançou com 100% na primeira fase, provou já ter superado a ausência de seu principal craque. Já a Celeste, que chegou a desfrutar do talento de seu melhor jogador nas vitórias sobre Inglaterra e Itália, tenta esquecer o inesquecível: a suspensão de Suárez, que não jogará mais a Copa do Mundo. É em meio a este enredo que ambas as seleções tentaram encontrar o vencedor de Brasil e Chile nas quartas de final.

POSSÍVEL REFORÇO

Assim que soube do desfalque de Falcao García, o técnico José Pékerman já havia escolhido o possível substituto para o ataque. Uma lesão no período de preparação para a Copa, porém, inviabilizou a entrada de Carlos Bacca no ataque colombiano. Passada a primeira fase da competição, o centroavante vê chances de defender o seu país crescerem justamente na partida diante do Uruguai, pelas oitavas de final.

Aparentemente recuperado de uma contratura na perna direita, Bacca não esconde o entusiasmo com a possível estreia no Mundial.

- Estes tipos de lesões musculares são muito comuns, por isso que devemos ser muito cuidadosos. Já não sinto dor. Tenho um desejo imenso de jogar, mas agora o que importa é a equipe, não o Carlos Bacca. Se o professor considerar que posso ajudar em algo, farei com muito gosto. Se não, apoiarei do lado de fora, como faremos todos nós colombianos – comentou o jogador.

Em meio ao sonho de Bacca, Pékerman ainda não decidiu se irá utilizar o centroavante. Até o momento, a dupla de frente colombiana tem sido formada pelos eficientes Teófilo Gutierrez e Ibarbo. O ataque colombiano, inclusive, é o segundo mais positivo do Mundial, com nove gols, um a menos que a Holanda.

A DEVOLUÇÃO DO PROTAGONISMO

Quando se trata de Uruguai, uma coisa é certa: o poder de se reinventar dentro da Copa do Mundo. É motivada por esta característica que a Celeste já escolheu o substituto para o insubstituível Suárez. Acostumado a ser o protagonista, Diego Forlán tentará, agora, esquecer o papel de coadjuvante, que o fez ir para o banco de reservas logo após o jogo contra a Costa Rica.

E foi justamente na estreia uruguaia no Mundial que a dependência de Suárez pôde ser percebida. Logo na única partida sem o centroavante, a Celeste acabou sofrendo uma inesperada derrota para os costarriquenhos. Depois, dois jogos e duas vitórias com El Pistolero em campo. Os números, portanto, não mentem. Resta saber se o Uruguai irá ou não superar a lógica mais uma vez.


FICHA TÉCNICA

COLÔMBIA X URUGUAI

Local: Estádio Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/Horário: 28/6/2014, às 17h (Horário de Brasília)
Árbitro: Björn Kuipers (HOL)
Assistentes: Erwin Zeinstra (HOL) e Svein Oddvar (NOR)

COLÔMBIA: Ospina, Zuñiga, Zapata, Yepes e Armero; Sanchez, Aguilar, Rodriguez e Cuadrado; Ibarbo (Bacca) e Gutierrez. Técnico: José Pékerman

URUGUAI: Muslera, Cáceres, Giménez, Godín e Álvaro Pereira; Arévalo Ríos, Álvaro González, Cristian Rodríguez e Lodeiro; Cavani e Forlán. Técnico: Oscar Tabárez.