icons.title signature.placeholder Eduardo Moura
08/11/2013
08:00

Apesar de ganhar uma nova cara, o Beira-Rio terá a mesma alma. Essa frase resume o conceito utilizado pelo Internacional para valorizar a reforma do seu estádio para a Copa do Mundo de 2014 e para a reinauguração, marcada para abril. As ligações com 1969, quando o Gigante foi aberto, são latentes. Adversário no torneio que inaugurou a casa colorada, o Peñarol estará presente. O filho de um jogador que esteve em campo 44 anos atrás vestindo ouro e negro estará, a princípio, correndo com as cores coloradas. Diego Forlán repetirá o pai, Pablo Forlán, e tem tudo para disputar a partida inaugural.

O duelo entre uruguaios e gaúchos terminou 4 a 0 para o Colorado, no dia 13 de abril. Sérgio, Claudiomiro, duas vezes, e Dorinho marcaram para os alvirrubros, que entraram em campo com Gainete (Schneider); Pontes e Valmir; Laurício, Tovar e Sadi; Valdomiro, Sérgio, Claudiomiro, Dorinho e Gilson Porto (Urruzmendi). O Peñarol alinhou com Mazurkivics; Forlán, Figueroa, Matosas e Caetano; Vieira (Rojas), Rocha e Cortez; Oneda (Abadie), Spencer e Joya. Além do pai de Forlán, estava no time Figueroa, que depois seria ídolo no Rio Grande do Sul. O árbitro da partida foi José Carlos Cavalheiro de Moraes, auxiliado por Airton Bernadoni e Carlos Martins. As informações foram dadas pelo pesquisador Laert Lopes.

A primeira partida no gramado do Beira-Rio foi seis dias antes, entre Inter e Benfica, e terminou 2 a 1 para os brasileiros. Pablo Forlán tinha inclusive amigos no lado vermelho: o atacante Urruzmendi, atuante pela seleção uruguaia, defendia o Colorado na época. Os festejos do clube e da torcida do time gaúcho ficaram na memória do pai do atual atacante colorado.

- Foi uma festa muito bonita, me lembro da entrada em campo, quando entramos tinham muitos fogos artificiais, a festa da torcida estava bonita. Peñarol veio para uma partida amistosa e pode acompanhar de perto esse momento que era muito importante para eles (Inter e os colorados). Jogamos uma partida amistosa que fomos convidados – disse ao LANCE!Net, respondendo se o Peñarol jogou “a morrer”.

Diego Forlán pode repetir história do pai e estar em abertura do Beira-Rio (Foto: Ricardo Rímoli/LANCE!Press)


Assim, a família Forlán pode seguir na história do Beira-Rio. Diego tem tudo para estar na reinauguração do estádio, em abril de 2014, justamente contra o Peñarol, time do coração do camisa 7. Apesar do momento instável, sem jogar, o uruguaio disse que quer ficar no clube gaúcho e já pensa na partida marcada para o dia 6 de abril do próximo ano.

- Já fizeram a inauguração do Beira-Rio um tempo atrás e farão de novo. Depois de ver o ano passado, como vai virando, tem essa vontade de chegar o dia. Tenho muita vontade de jogar. Tomara que seja assim – comentou o atacante, em entrevista coletiva.

O pai do jogador reitera que nas conversas da família Forlán, a inauguração do Beira-Rio está presente. Assim como Diego, rasga elogios ao estádio e elogia a beleza principalmente da cobertura.

- Temos falado sobre isso, sim. O estádio está ficando muito bonito, cada vez que vou aí para ficar com o Diego olhamos, vai ficar bonito com a carpa (cobertura) branca que colocaram em cima. Vai ser muito bom ele jogar. Espero estar aí em Porto Alegre para poder acompanhar o Diego e o Peñarol também nessa partida – completou Pablo Forlán.

O Internacional chamou os uruguaios para manter a relação com o torneio de abertura do Beira-Rio de 69. O jogo será no dia em que o estádio completará 45 anos. A venda de ingressos está em sua quarta fase e o Colorado ainda tem outras ações até a chamada “Festa Gigante” para celebrar o retorno do estádio.