icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci
icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci
10/07/2013
06:00

Depois de o Milan aceitar vender Robinho por 7 milhões de euros à vista (cerca de R$ 20 milhões), o Santos vê a pedida do atacante como o maior entrave para o acerto.

O jogador aceitou reduzir sua pedida inicial, mas quer ganhar cerca de R$ 1 milhão livre de impostos. Com encargos tributários e benefícios, o Peixe calcula que ele custaria R$ 2 milhões por mês, R$ 24 milhões por ano em um contrato de três temporadas: R$ 72 mi no total.

Dentre as exigências do Rei do Drible estão o pagamento de comissão para seu pai, Gilvan de Souza, e sua representante, Marisa Alija Ramos, a cessão de um camarote na Vila Belmiro e a contratação de um preparador físico exclusivo para ele. Este profissional deve ser Fabio Galan, amigo de longa data do jogador.

Os dois se conhecem há anos e passaram juntos essas últimas férias do atacante, principalmente em Santos e no Guarujá. Galan também é uma espécie de assessor particular do Rei do Drible e é visto frequentemente ao lado do amigo, com o qual costuma postar fotos em redes sociais.

Por outro lado, pessoas ligadas ao atleta afirmam que ele está fazendo de tudo para voltar à Vila Belmiro. O atleta teria aberto mão de quase um quarto do que recebe no Milan.

Nesta quarta-feira, o Comitê de Gestão santista se reúne e tentará uma engenharia finaceira para viabilizar a contratação. O prazo para a chegada de jogadores do exterior se encerra no próximo dia 20, o que acelera as negociações.

Com a palavra: Marisa Alija Ramos, representante de Robinho:

A negociação segue indefinida. O Santos me pediu um prazo, para que realizasse a reunião do Comitê de Gestão, e estou aguardando uma resposta.

Os números que têm sido veiculados na imprensa não estão corretos, mas não seria ético da minha parte revelar os valores que o Milan pede ou que o Robinho deseja.

É preciso ter pressa, pois não é uma operação fácil de concretizar. Caso haja acerto, eu e um representante do Santos precisaremos viajar à Itália, para fazer a rescisão contratual com o Milan e assinar o novo contrato. Tudo isso demora e a janela de transferências está muito perto de fechar. Antes, trabalhávamos com o encerramento do período de transferências no dia 15, mas fomos informados que a CBF estendeu por mais cinco dias.

Enquanto isso, o Robinho está junto com o elenco do Milan. Ele se reapresentou no fim de semana para a pré-temporada e está concentrado, esperando um desfecho.

Depois de o Milan aceitar vender Robinho por 7 milhões de euros à vista (cerca de R$ 20 milhões), o Santos vê a pedida do atacante como o maior entrave para o acerto.

O jogador aceitou reduzir sua pedida inicial, mas quer ganhar cerca de R$ 1 milhão livre de impostos. Com encargos tributários e benefícios, o Peixe calcula que ele custaria R$ 2 milhões por mês, R$ 24 milhões por ano em um contrato de três temporadas: R$ 72 mi no total.

Dentre as exigências do Rei do Drible estão o pagamento de comissão para seu pai, Gilvan de Souza, e sua representante, Marisa Alija Ramos, a cessão de um camarote na Vila Belmiro e a contratação de um preparador físico exclusivo para ele. Este profissional deve ser Fabio Galan, amigo de longa data do jogador.

Os dois se conhecem há anos e passaram juntos essas últimas férias do atacante, principalmente em Santos e no Guarujá. Galan também é uma espécie de assessor particular do Rei do Drible e é visto frequentemente ao lado do amigo, com o qual costuma postar fotos em redes sociais.

Por outro lado, pessoas ligadas ao atleta afirmam que ele está fazendo de tudo para voltar à Vila Belmiro. O atleta teria aberto mão de quase um quarto do que recebe no Milan.

Nesta quarta-feira, o Comitê de Gestão santista se reúne e tentará uma engenharia finaceira para viabilizar a contratação. O prazo para a chegada de jogadores do exterior se encerra no próximo dia 20, o que acelera as negociações.

Com a palavra: Marisa Alija Ramos, representante de Robinho:

A negociação segue indefinida. O Santos me pediu um prazo, para que realizasse a reunião do Comitê de Gestão, e estou aguardando uma resposta.

Os números que têm sido veiculados na imprensa não estão corretos, mas não seria ético da minha parte revelar os valores que o Milan pede ou que o Robinho deseja.

É preciso ter pressa, pois não é uma operação fácil de concretizar. Caso haja acerto, eu e um representante do Santos precisaremos viajar à Itália, para fazer a rescisão contratual com o Milan e assinar o novo contrato. Tudo isso demora e a janela de transferências está muito perto de fechar. Antes, trabalhávamos com o encerramento do período de transferências no dia 15, mas fomos informados que a CBF estendeu por mais cinco dias.

Enquanto isso, o Robinho está junto com o elenco do Milan. Ele se reapresentou no fim de semana para a pré-temporada e está concentrado, esperando um desfecho.