icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
21/02/2015
20:17

Após mais uma partida sem vitória, os jogadores do Avaí buscam outras soluções para a má fase do clube. Amargando a lanterna do Catarinense, o Leão da Ilha ainda não venceu neste Estadual, somando apenas 2 pontos em cinco rodadas.

Para o lateral Pablo, uma forma de ajudar o elenco é a conversa. Após a derrota para o Metropolitano, na última quinta-feira, o jogador afirmou que o limite para conquistar a primeira vitória já havia passado e pediu mais conversas entre seus companheiros.

- O limite já foi há dois, três jogos, a paciência também. A gente tem se reunido, antes do jogo contra o Metropolitano, depois da preleção do Geninho, o Jéci falou com a gente, só os atletas. Trabalho não falta e a gente poderia conversar mais sim, trabalho não tem faltado. É um time que tem corrido muito, às vezes não da forma certa, mas pode haver mais conversa para a gente acertar.

Sobre o seu desempenho nos últimos jogos, Pablo preferiu não opinar, pois afirma que já sabia que seria cobrado devido a seu passado como jogador do Figueirense.

- Eu sabia, quando cheguei, que seria cobrado pelo meu passado. Estou sendo cobrado como todos e o torcedor sabe e entende de futebol. Ele sabe que se eu não estivesse rendendo ia cobrar e isso está sendo feito em cima dos resultados desse ano. Não poso avaliar 100% porque os resultados não estão vindo, se a gente estivesse ganhando, eu poderia falar que fiz um bom jogo, então a hora é de tentar se unir.

O Avaí volta a jogar neste domingo, às 18h30, contra o Marcílio Dias, no estádio Roberto Santos, em duelo válido pela sexta rodada do Catarinense.