icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/02/2015
21:26

Oswaldo de Oliveira considerou que o Palmeiras teve muita pressa para vencer o Capivariano, neste sábado, no Allianz Parque, pelo Campeonato Paulista. Depois do triunfo por 2 a 0 no Allianz Parque, com gols que saíram já no fim do confronto, o técnico disse que viu a equipe perder a calma após um início de muita pressão sobre o rival, mas que não surtiu efeito contra a "muralha" do Capivariano.

- Nós começamos o jogo pressionando muito, e em consequência tivemos em cinco minutos duas boas chances de marcar. O gol não saiu e passamos do limite. Houve um momento depois do início em que começamos a "passar um pouco da bola". Mas acho que a grande dificuldade não foi o nosso time, foi a postura do Capivariano, que jogou defensivamente muito bem, muito bem organizado - disse o treinador.

Depois dos cinco minutos em cima do adversário, o Verdão perdeu fôlego e passou a sofrer para entrar na área. Por isto, o treinador decidiu colocar Alan Patrick na vaga de Arouca, aos 19 minutos, mas aos 27 precisou mudar mais uma vez, pois o camisa 30 sentiu um incômodo na parte posterior da coxa esquerda e teve de ser substituído.

- Tirei o Arouca, porque ele estava no limite e iria dar uma mobilidade maior com o Alan, para voltar a jogar como antes, com ele, Robinho e Gabriel, mas infelizmente a lesão do Alan nos fez interromper isso. Isso quebrou aquilo que eu estava pensando - justificou o técnico, antes de falar sobre a dificuldade do time para finalizar.


Com 15 pontos em sete rodadas, o Palmeiras é o líder do Grupo C, com seis pontos de vantagem para Botafogo-SP e Portuguesa - ambos, porém, têm um jogo a menos. Agora, são quatro vitórias seguidas no Estadual para o Verdão, que volta a campo na quarta-feira, quando estreia na Copa do Brasil, contra o Vitória da Conquista, na Bahia.