icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/11/2013
07:46

Assim que acertou o retorno ao futebol brasileiro, o técnico Oswaldo de Oliveira jamais escondeu a insatisfação com o apertado calendário das equipes. Além do desgaste físico, o curto intervalo entre as partidas, diz o treinador, impede que os defeitos do time sejam corrigidos e que novas formas de atuar e surpreender os adversários sejam trabalhadas.

Contudo, a partir da eliminação na Copa do Brasil, o treinador passou a ter uma semana para ajustar a equipe entre um compromisso e outro. E nesse período, se há um fundamento que o time apresentou uma significativa evolução, é a bola parada ofensiva. Nas últimas quatro partidas, foram três gols marcados a partir dessas jogadas.

                                                                                                                Faltas próximas à área

1ª figura - Seedorf põe a bola na segunda trave. Algum jogador do Botafogo bloqueia o adversário para que Bolívar ou Rafael Marques cabeceiem para a área.

2ª figura - Seedorf cruza a bola à meia altura. Rafael Marques e Dória revezam-se fazendo a "parede" e ajeitando a bola para um ou outro finalizar.

Disputando praticamente duas decisões nos próximos jogos, contra Coritiba, domingo, e Criciúma, dia 8, o técnico Oswaldo de Oliveira alerta que cada vez mais os times têm se fortalecido através deste tipo de expediente:

– Todas as equipes têm, a maioria tem, eu não sei de nenhuma que não tenha. Nós alertamos sobre a virtude dos adversários e isso tem acontecido com frequência – disse.

De acordo com o volante Gabriel, ter precisão na bola parada pode ser preponderante para o destino do Botafogo no Brasileirão:

– São dois jogos e não podemos errar nas rodadas finais. Temos de estar bem posicionados, ocupando bem os espaços. Temos de ter tranquilidade para conseguir a vitória.

Com bola parada ou rolando, a torcida quer vê-la na rede!

                                                                                                                           Escanteios

1ª figura - Uma das jogadas ensaiadas ocorre ao Seedorf lançar a bola na segunda trave, para Bolívar ou Rafael Marques ajeitar para outro atleta no meio da área.

2ª figura - Uma outra combinação é feita quando Seedorf cobra o escanteio na direção de Edilson, que está fora da área. O lateral bate direto ou efetua outro cruzamento.