icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
20/02/2015
15:03

Oswaldo de Oliveira não se importou nem um pouco com os dias que Valdivia passou em Salvador durante a folga de Carnaval do elenco do Palmeiras. E o técnico, conhecido pelos termos rebuscados e palavras que fogem do "mundo boleiro", desta vez criou verbos "populares" para defender o Mago, que ainda se recupera de lesão e terá sua estreia adiada.

- O Valdivia sem jogar dá assunto, imagine jogando. Não tem problema nenhum (o Carnaval). Pode ir para onde quiser, "frevar" e "axezar" é com ele mesmo. Pena que eu não posso mais fazer isso - afirmou.

Oswaldo referiu-se ao frevo, dança típica de Pernambuco e ao axé, ritmo musical baiano. Bem humorado, o técnico sempre chamou atenção da mídia e de jogadores pelos termos que costuma usar em entrevistas. Há pouco mais de dois anos, no Botafogo, isso gerou brincadeiras no clube carioca.

FRASES MARCANTES DO CHEFE

'Que golaço do Rafael Marques, meu irmão, fala sério. Um otário não faria. Vou reivindicar um aumento de salário'
Xodó
Sobre Rafael Marques, hoje também no Verdão, em 2013, no Botafogo

“Temos um casting enorme, e confiamos nele. A torcida é preponderante para a boa campanha em casa”
Apoio caseiro
Oswaldo usou termo em inglês para falar do elenco do Botafogo.

“O apupo é recalque. O futebol é lúdico”
Como?
Minimizando as vaias da torcida no Fluminense, em 2006, afirmando que o jogo se decide em campo.

“Eu preferi colocar um jogador mais ectomorfo”
Biotipo
No São Paulo, ao explicar uma substituição, Oswaldo disse ter optado por um atleta mais leve.

"Há pessoas que têm um vocabulário de 2.000 palavras, outras de 5.000 palavras, outras de cinco e outras de duas. Tenho 54 anos, como vou mudar algo que já tenho sedimentado?"
Em 2005, quando dirigiu o Santos pela primeira vez


(Valdivia durante o Carnaval - Foto: Twitter Band FM)