icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
09/12/2013
09:36

Seedorf e Oswaldo de Oliveira protagonizaram uma cena que chamou a atenção pela emoção de ambos ao fim do último jogo do Botafogo em 2013, neste domingo, no Maracanã, na vitória por 3 a 0 sobre o Criciúma, pela 38ª rodada do Campeonato Brasileiro. Ao ser substituído por Hyuri, aos 43 do segundo tempo, o holandês, chorando, deu um demorado abraço no técnico. Na entrevista coletiva após o jogo, ao ser questionado se aquele momento teria sido uma "despedida", o técnico, que voltou a ressaltar a importância do camisa 10, não escondeu a possibilidade de deixar o clube.

- Seedorf é um cara especial. Todo mundo sabe. Tirei ele no fim para receber aquela homenagem. Claro que fica um clima de incerteza, pois futebol é um balcão de negócios. Tem que saber lidar com isso. Naquele abraço, traduzimos tudo o que passamos esse ano. Foi muito bacana o trabalho. Da minha parte e da dele, estávamos expressando um carinho de um pelo outro. Mas há uma atmosfera de que nos separem mesmo - disse Oswaldo.

Durante a temporada, Oswaldo e Seedorf por várias vezes trocaram elogios mútuos. No entanto, recentemente, por ter sido substituído em alguns jogos, Seedorf demonstrou descontentamento com a situação. Apesar disso, o holandês disse que Oswaldo era um treinador que ele sempre procurou na sua vida.

- Nunca escondi que isso me deixa feliz. Vaidade sobressai, ouvir isso de alguém como o Seedorf é algo que me deixa orgulhoso - disse.

Com contrato com o Botafogo até o fim deste ano, Oswaldo de Oliveira tem algumas propostas para deixar o Botafogo. O clube ainda não o procurou para renovar o contrato e o treinador, também após a partida, disse que o seu futuro será definido nos próximos dias. Enquanto isso, Seedorf que tem vínculo com o time carioca até fim de junho, tem seu nome especulado como possível contratação do Milan (ITA), talvez como treinador.