icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
23/03/2014
20:29

Mesmo contando com cinco reservas, o Santos venceu o clássico contra o Palmeiras, neste domingo, na Vila Belmiro, por 2 a 1. Agora, encerrada a primeira fase do Campeonato Paulista, o time terá pouco tempo de trabalho até quarta-feira - data ainda não oficializada pela Federação Paulista de Futebol, mas já de conhecimento do clube -, quando recebe a Ponte Preta no jogo das quartas de final do Estadual. O técnico Oswaldo de Oliveira admite o favoritismo do Peixe, que foi o melhor time da etapa de grupos, mas prefere não dar a partida como definida.



Santos bate Palmeiras na Vila e garante liderança no Paulista



– Interferência externa não pode alterar meu trabalho. Vou respeitar o time da Ponte Preta, que temos visto muito. Eles são aplicados, correm, e o Vadão sempre forma equipes competitivas. Vou me concentrar para tornar realidade um favoritismo que vai acabar acontecendo – afirmou o comandante santista, que se dedicou a estudar a Macaca nos últimos dias.

Nas quartas de final, o Santos terá apenas um desfalque, que é o atacante Rildo, emprestado pela Macaca e impossibilitado de jogar a menos que o clube da Vila Belmiro pague R$ 500 mil aos campineiros. Em contrapartida, retornam à equipe o lateral Cicinho, o zagueiro Jubal, o volante Arouca, o meia Cícero e o atacante Leandro Damião, que não jogaram contra o Palmeiras.

– É bom ter esses jogadores de volta e, principalmente, uma vantagem considerável de jogar em casa. Não é determinante, mas nos dá confiança – explicou o atacante Thiago Ribeiro, outro destaque do Peixe.

Para Oswaldo, garotos do Santos não estão preparados pro Brasileiro