icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
14/03/2014
18:48

Grafite foi campeão paulista, da Libertadores e do Mundial pelo São Paulo, mas muitos torcedores lembram mais do jogo contra o Juventus, no Paulistão de 2004. Na oportunidade, o atacante marcou dois gols, o Tricolor venceu o time da Mooca, mas acabou salvando o Corinthians do rebaixamento. Fato que faz alguns jogadores são-paulinos ficarem preocupados para o duelo de domingo, contra o Ituano, no Morumbi.

Osvaldo admitiu nesta sexta-feira preocupação em ficar marcado pela torcida. Isso porque se o Tricolor perder para o Ituano pode eliminar o rival na primeira fase do campeonato.

- A gente fica pensando no dia a dia, mas quando está dentro de campo, a adrenalina sobe e você acaba não pensando em nada, só no jogo. Realmente é difícil, eu que estou crescendo, faço um gol no domingo, acaba ajudando o Corinthians e a torcida começa a pegar no pé. É complicado. Mas tenho que fazer meu trabalho. Independentemente do outro lado, quero deixar sempre claro que só entramos para vencer, e é isso que vamos continuar - disse o camisa 17.

Embora tenha receio sobre a maneira como a torcida pode reagir com quem marcar os gols de uma possível vitória sobre o Galo de Itu, Osvaldo descarta qualquer hipótese de entregar o jogo para prejudicar o Corinthians. Além do profissionalismo, o atacante cita a amizade com o ex-tricolor Jadson, negociado com o Timão em troca por Alexandre Pato.

- A gente vem com invencibilidade, jogos difíceis, com certeza pode acontecer. É uma equipe que está brigando para classificar, não podemos tirar o mérito do Ituano, podem vencer mesmo com força máxima, podem chegar no Morumbi e complicar a gente. Tem que chegar com pensamento de vencer. Eu, falando como profissional, jamais vou prejudicar, ainda mais que tenho um companheiro lá que é o Jadson e jamais vou desejar mal pra ele - garantiu.

Osvaldo reconhece melhora e quer continuar por cima