icons.title signature.placeholder João Matheus Ferreira
21/02/2015
14:03

Os torcedores que quiserem ir ao clássico de amanhã, entre Fluminense e Vasco, no Nilton Santos, podem ter certeza de uma coisa: o policiamento estará reforçado. Evidentemente, isso não evitará possíveis brigas entre facções organizadas dos clubes, mas o objetivo é diminuir ao mínimo qualquer risco de confusão, principalmente nos arredores do estádio.

Para isso, o Gepe (Grupamento Especial de Policiamento em Estádios) vai começar a trabalhar às 13h, apesar de o jogo ser apenas às 18h30. Em uma reunião com representantes das torcidas organizadas, na última quinta-feira, ficou decidido que todas serão escoltadas para chegar ao estádio. Seja de ônibus público, ônibus fretado, metrô, trem ou barca, para aqueles que saem de Niterói.

- O Gepe terá um efetivo de 200 policiais, mas vamos contar com o apoio de unidades especiais, como cães, polícia montada, batalhão de choque e aéreo. O policiamento externo será feito pelo 3º Batalhão (Meier). Vamos escoltar todos as torcidas organizadas - explicou o tenente-coronel do Gepe, João Fiorentini, ao LANCE!Net.

Este será o primeiro clássico desde a reabertura do Nilton Santos. O estádio ficou fechado por quase dois anos para reformas estruturais. Para Fiorentini, porém, isso não faz com que o clássico de amanhã tenha um apelo diferente.

- O jogo está sendo tratado com o mesmo risco de todos os clássicos do Rio. Será tudo feito nos moldes anteriores - explicou Fiorentini.

Por conta da briga interna na Força Jovem do Vasco, o Gepe vai separar os dois grupos no Nilton Santos. Os que se denominam situação ficarão no setor sul, enquanto o grupo da oposição ficará na leste inferior. Portanto, não haverá cordão de isolamento.