icons.title signature.placeholder Gabriel Rodrigues
10/12/2013
14:50

Após a confusão do último domingo, na Arena Joinville, o Ministério Público do Paraná, na manhã desta terça-feira, fez um termo de ajustamento de conduta que prevê a proibição da torcida organizada do Atlético-PR, "Os Fanáticos", de entrar em estádios com materiais, como camisas, bandeiras, faixas ou instrumentos musicais. A decisão foi tomada em comum acordo entre o promotor do MP-PR, Maximiliano Deliberador, e a própria torcida.

Caso descumpra o termo assinado, "Os Fanáticos" terão que pagar multa de R$ 20 mil por infração, podendo ocorrer um novo afastamento em caso de novo envolvimento em brigas. O termo é válido para estádios no Brasil. Como o time está classificado para a Libertadores do próximo ano, a torcida pode acompanhar o time por outros países.

A confusão generalizada entre as torcidas de Vasco e Atlético-PR causou a paralisação do partida por 71 minutos e deixou quatro torcedores hospitalizados. Até o momento, apenas três torcedores do Cruz-Maltino foram presos.

Confira a nota do Ministério Público do Paraná na íntegra:

A Promotoria de Defesa do Consumidor de Curitiba firmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com “Os Fanáticos”, torcida do Clube Atlético Paranaense, para que a torcida organizada não compareça a eventos esportivos pelo período de seis meses. O TAC foi firmado após uma reunião realizada na manhã desta terça-feira (10 de dezembro) entre representantes do Ministério Público e da torcida.

A torcida terá que manter nota em destaque em sua página eletrônica, pelos próximos 30 dias, dando ciência aos seus integrantes sobre o acordo formalizado com o Ministério Público.

Em caso de descumprimento do acordo, a multa será de R$ 20 mil por infração identificada. O promotor de Justiça Maximiliano Ribeiro Deliberador esclarece que três estados estão envolvidos na questão, de maneiras diferentes: o MP do Rio de Janeiro trata da questão da torcida do Vasco, o MP do Paraná se ocupa da torcida organizada do Atlético e Santa Catarina trata das questões de policiamento. Também cabe ao MP de SC buscar a eventual punição individual dos responsáveis pelas agressões.

O promotor de Justiça explica que, conforme o Estatuto do Torcedor, a única punição possível é o afastamento da torcida dos estádios por um período de até três anos. O Atlético não havia registrado nenhuma punição até agora, por isso o prazo foi fixado em seis meses.

A própria torcida do Vasco já havia sido suspensa em acordo com o MP do Rio, por seis meses em situação similar.