icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni
26/11/2014
18:12

Paulo Garcia foi escolhido pelo grupo de oposição do Corinthians para ser o candidato à presidência na eleição, que acontecerá no próximo dia 7 de fevereiro, no Parque São Jorge. O martelo foi batido nas últimas horas, após reuniões entre os sócios e conselheiros da chapa Pró-Corinthians. A definição dos dois vices-presidentes ainda não está anunciada por Paulo Garcia. É algo que ele pretende fazer na próxima semana, em uma entrevista coletiva a ser realizada na capital paulista.

Será a quarta tentativa consecutiva do empresário, que é um dos herdeiros da família proprietária da empresa Kalunga. Garcia perdeu as eleições de 2007 e 2009 para Andrés Sanchez, além de ter sido derrotado no último pleito, em 2012, por Mário Gobbi Filho, também candidato da situação - as últimas duas com votos dos associados do clube, e a primeira com escolha dos conselheiros.

Na última eleição, o candidato da oposição se viu em meio a uma enorme polêmica ao desdenhar do primeiro título mundial do Corinthians, conquistado em 2000, no Rio de Janeiro. Para enaltecer a importância de se ganhar a Libertadores, que não fazia parte da galeria de troféus do clube na época, Garcia afirmou que seria "como entrar na faculdade sem ter feito o vestibular". Por isso, precisamos da Libertadores". O empresário, na sequência, diante da repercussão do fato, colocou a culpa na imprensa, afirmando "que foi mal interpretado pelos jornalistas".

O pleito no Parque São Jorge terá, ao menos, três candidatos. Além de Garcia, já há confirmação de Roberto de Andrade, pela situação, apoiado por Gobbi, e Ilmar Schiviatto, que será uma espécie de terceira via nas eleições presidenciais em fevereiro de 2015.

QUEM É ELE...
NOME: Paulo Garcia, nasceu em 29/12/1954 (59 anos)
CHAPA: Pró-Corinthians
VICES: ainda não foram anunciados
NO CLUBE: empresário do Grupo Kalunga, empresa criada por seu pai, Damião Garcia, e primeira patrocinadora do Corinthians, está no clube desde 1970. Tentará a presidência pela quarta vez - perdeu para Andrés Sanchez duas vezes e, na última, para Mário Gobbi.