icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
31/07/2014
15:41

A pressão política sobre o presidente Mauricio Assumpção está cada vez maior. Nesta quarta-feira, foi a vez do grupo Mais Botafogo, de oposição ao atual mandatário, divulgar uma carta aos sócios pedindo a saída dele do comando do Glorioso. A ideia do grupo é convocar uma reunião do Conselho Deliberativo para decretar a retirada de Mauricio do posto de presidente do Alvinegro.

No texto, o grupo lembra que já alertava os outros conselheiros sobre erros na administração do clube. A saída do Ato Trabalhista por sonegação, os atrasos salariais, o apelo de Mauricio à presidente Dilma Rousseff - quando disse que o clube poderia sair do Brasileiro devido aos bloqueios de verbas e a impossibilidade de pagar os jogadores - e a revelação de que uma empresa de familiares do presidente recebe, desde 2010, 5% do patrocínio da Viton 44, principal patrocinadora do clube - em matéria do globoesporte.com -, pesaram para a decisão do grupo de oposição.

Confira a carta abaixo, divulgada no site oficial do Mais Botafogo:

"Prezado Sócio do Botafogo de Futebol e Regatas,

Ao longo dos últimos anos o grupo Mais Botafogo tem, com imensa apreensão, revelado-lhe os graves erros, equívocos, decisões temerárias e outros atos lesivos aos interesses do Botafogo, que vem sendo cometidos pelo Sr. Maurício Assumpção.

Em abril, percebendo a enormidade e a gravidade da crise em que tínhamos sido colocados pelo presidente do Clube ao, deliberadamente, sonegar ao Tribunal Regional do Trabalho informações referentes ao valor das receitas auferidas pelo Botafogo, provocou nossa exclusão do Ato Trabalhista, solicitamos que o Sr Maurício renunciasse ao cargo ou que, caso não o fizesse, que o presidente do Conselho Deliberativo, usando as prerrogativas do artigo 54 do Estatuto, propusesse a cassação do seu mandato (clique aqui para ler o boletim enviado em 7 de abril).

Infelizmente nada disto aconteceu e, em nome de uma pretensa preservação do nome do Botafogo, nada foi feito, preferindo-se empurrar a crise com a barriga ou esconder-se dela, como se isso tivesse o poder de resolvê-la.

A consequência está aí, à vista de todos: o problema se agravou, os atrasos salariais foram aumentando. Como um pré aviso o time negou-se a viajar para disputar amistoso em João Pessoa, o ambiente deteriorou-se. O Vice de Futebol deu declarações à imprensa onde ficou patente que não tinha nenhum controle sobre o elenco. Já o presidente, demonstrando desamor pelo Botafogo, ganhou as manchetes de toda a imprensa e a notoriedade que sempre desejou ao declarar, em encontro com a Presidente da República, que estava considerando retirar o time do Campeonato Brasileiro.

Mas, em uma demonstração de que o fundo do poço a que estamos sendo levados por esta administração ainda não foi atingido e que nada está tão ruim que não possa piorar, matéria publicada ontem nos informa que "Empresa de familiares de Assumpção recebe 5% de patrocínio do Botafogo”, o que foi confirmado pelo próprio sr Maurício, o qual, além de tudo, não vê nenhum problema nisto, achando normal remunerar a referida empresa, desde 2010, com mais de um milhão de reais por ano (clique aqui para ler a matéria).

Prezados sócios: BASTA!!!!!

É a existência do Botafogo que está ameaçada!!!

É chegada a hora dos verdadeiros BOTAFOGUENSES se manifestarem e exigirem o afastamento deste nefasto senhor do nosso Clube. Ele não é digno de usar o título que foi usado por Flávio Ramos, Paulo Antonio Azeredo, Benjamin Sodré, Carlito Rocha, Althemar Dutra de Castilho, Ney Cidade Palmeiro, dentre tantos grandes Presidentes, estes com P maiúsculo, que engrandeceram o nosso Clube.

Senhor José Luiz Rolim, Presidente do Conselho Deliberativo: assuma seu papel neste momento histórico e convoque, imediatamente, o Conselho para demitir este senhor, responsável por tantos e talvez irreparáveis prejuízos ao Botafogo e que nem mesmo deveria ter o direito de declarar-se botafoguense, do cargo que hora ocupa. Faça isto antes que seja demasiadamente tarde.

Saudações Alvinegras

GRUPO MAIS BOTAFOGO"