icons.title signature.placeholder João Carlos Assumpção, colunista do LANCE!
22/11/2014
22:00

O Vasco cumpriu sua obrigação em 2014, que não era ganhar o título da Série B e sim garantir uma vaga na divisão de elite do Brasileiro. Mas terá muitos problemas no ano que vem. A equipe que subiu é bem frágil, vide o sufoco que levou do Icasa em pleno Maracanã.

Eurico Miranda, que passara o clube em situação complicada para Roberto Dinamite, recebe-o de volta em posição ainda mais crítica do ponto de vista econômico-financeiro. Terá muitos desafios pela frente e, para começar, precisa conhecer o buraco nas contas vascaínas, algo que talvez só mesmo uma auditoria consiga determinar. Não será fácil, sem recursos, formar um time forte como o torcedor sonha e merece ver em campo.



O ideal seria trabalhar o marketing, buscar parceiros, inclusive para reformular São Januário, e resgatar a credibilidade no mercado, tarefa árdua, ainda mais com o polêmico e controverso Eurico no comando. Mas voz ativa o novo velho presidente tem e pode fazer barulho no futebol, inclusive lutando contra a dupla Corinthians e Flamengo, hoje em grande vantagem quando se trata de valores de cotas de TV.

Já Dinamite não deixa saudades. Acusado de favorecer parentes ao comandar o clube, perdeu aliados, enfraqueceu o futebol, teve as contas contestadas, não conseguiu pagar salários em dia e aumentou o rombo financeiro.

Graças à sua péssima gestão Eurico está de volta como se fosse salvador da pátria. Só que no futebol, como na política, não há salvadores da pátria. E o Vasco terá muito, mas muito trabalho mesmo, se quiser voltar a ter um time de primeira, que brigue por títulos de verdade e não se contente apenas em permanecer na Série A.