icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
10/02/2015
15:20

*Albert Puig é ex-treinador e coordenador das categorias de base do Barcelona

Num jogo de futebol, tudo acontece por algum motivo. Algumas de formas fortuitas, outras mais previsíveis. Por conseguinte, como podemos preparar, analisar, entender e modificar o que acontece numa partida de futebol?

Começamos desde o treinamento. Analisamos desde a observação. Entendemos através de nossos conhecimentos e o modificamos como nossa experiência, que é o resumo do antes citado.

O treinamento é o nosso plano de ação. O futebol é a competição da partida seguinte, aquela que devemos aprimorar o que foi feito na anterior.

Num mundo competitivo, onde o resultado é a razão de ser, cada peça da equipe saberá a função que deverá desenvolver segundo o resultado momentâneo com do encontro com a única finalidade, a de conseguir a vitória. É muito importante que o jogador saiba e compreenda o que vai realizar em campo. O restante são os fatores que cada partida e o adversário propõem.

Por incrível que pareça, muitos jogadores não têm um plano individual dentro do coletivo. E sim um plano pessoal próprio condicionado por múltiplos fatores. Desde a inexistência de um modelo coletivo até a ambição desmesurada do seu protagonismo.

No mundo formativo, onde o resultado não tem nada para ser o condicionante, o aluno jogador precisa aprender uma linguagem nova. É do futebol. É preciso interpretar e resolver cada ação do jogo. A tática individual somada aos fundamentos técnicos são os pilares da formação.

O jogador é que segue aprendendo todas as inumeráveis matrizes da linguagem futebolística. Somente sua natural evolução física ditará a sentença da sua retirada do nível mais alto. Mas nunca, de jogar, melhorar e seguir desfrutando este belíssimo esporte.