icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/02/2015
15:58

ANDRÉ KFOURI
Colunista do LANCE! e do L!Net

O ideal é o Corinthians contratar um outro meia

É um problema, porque independentemente da irregularidade de Jadson, o Corinthians não tem outro jogador com as mesmas características. O meio de campo parecia bem ajustado, sem que Jadson precisasse ser “o cara” da construção de jogadas.

Ele seria capaz de sustentar esse funcionamento? Não saberemos. Danilo e Petros, com ofertas diferentes, podem fazer a função. Mas o ideal seria o Corinthians encontrar um outro meia.

MAURO BETING
Colunista do LANCE! e do L!Net

Jadson fará falta, mas Timão tem talentos sobrando

Jadson voltou a jogar o que pode. E em nova função, aberto pela direita, mas entrando por dentro para articular.

Algo que Tite pensava fazer com Lodeiro, mas a providência o negociou com o Boca.

Algo que Jadson agora respondia muito bem, mas a dinheirama chinesa impediu a continuidade.

Danilo é a primeira opção natural. Pela direita mesmo do 4-1-4-1, cortando por dentro, acompanhando o lateral rival – quando ele atacar, e dando ritmo à equipe com mais técnica.

Petros também pode fazer bem a função, sobretudo quando o Timão precisar de mais força na marcação, e mais velocidade no jogo.

Se quiser ser mais profundo nas mexidas, Tite pode mexer em duas posições: Renato Augusto pode ser deslocado para a direita, na de Jadson, com Petros ou Danilo fazendo a de Renato – cuja função atual obriga a recompor mais o meio a partir da esquerda, ao lado de Sheik.

Jadson fará falta. Mas o Corinthians ainda tem talentos sobrando.

MAURÍCIO OLIVEIRA
Editor do LANCE! e do L!Net

Danilo faz a função no 4-1-4-1, mas time perde imaginação

A saída de Jadson indica mau planejamento do Corinthians, agravado ainda mais pela transferência do uruguaio Lodeiro, também meia, para o Boca Juniors (ARG), no fim de janeiro.

Para manter a estrutura do time no 4-1-4-1, com três meias (sendo o volante Elias um deles) e um atacante (Sheik), Tite terá de apostar em Danilo ou Petros. O primeiro cadencia o jogo e valoriza a posse de bola, mas não encontra os espaços que Jadson, inspirado, costuma encontrar, como fez nos dois jogos do Corinthians em Itaquera, contra Once Caldas (4x0) e São Paulo (2x0). Já Petros é aguerrido, força a marcação, ajuda a pressionar o adversário na saída de bola, mas não tem o passe qualificado como Jadson e Danilo.

Outras opções são o volante Cristian, jogando mais adiantado, embora passe mal a bola, o que pode atrapalhar; e um atacante recuado como joga Sheik, sendo Malcom e Luciano as alternativas.

Em todos os casos, o Corinthians perde talento no meio de campo e atrapalha o que Tite planejou e trabalhou até agora.

RODRIGO VESSONI
Repórter do LANCE! e do L!Net

Não se sabe como Guerrero, Sheik e, principalmente, Renato Augusto vão reagir

Tecnicamente, é uma enorme perda para o Corinthians e para o técnico Tite. Jadson é o maior garçom do elenco neste início de 2015, com cinco assistências (ainda fez um gol, contra o São Paulo).

Há opções para substituí-lo, mas não dá para saber como se comportarão Guerrero, Sheik e, principalmente Renato Augusto, sem o camisa 10 por perto.

Em relação à parte financeira, é um grande negócio pela idade (31 anos) e pelo fato de Jadson ter contrato com o Corinthians só até o fim deste ano.