icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/11/2013
17:24

Dos dois operários que morreram nesta quarta-feira, no acidente na Arena Corinthians, apenas um fazia parte da operação do guindaste que causou o problema. Fábio Luiz Pereira dirigia o Munck da empresa BHM, enquanto o montador Ronaldo Oliveira dos Santos descansava em lugar, teoricamente, restrito. Foi o que contou Andrés Sanchez, ex-presidente do Timão, em entrevista coletiva concedida para explicar o caso.

- O funcionário do caminhão fazia parte da operação. O Ronaldo estava na sua hora de almoço, infelizmente estava descansando no túnel que dava acesso ao prédio leste. Ninguém viu ele lá. A Odebrecht já está em contato com as famílias dando todas as assistências – disse Andrés.

De acordo com Frederico Barbosa, gerente operacional da Odebrecht, somente pessoas envolvidas na operação, além das duas vítimas, estavam no perímetro de segurança definido no momento do acidente.

- Em torno de 30 pessoas estavam envolvidas, mas na área isolada. Só o pessoal da operação mesmo estava presente – declarou.

Exclusivo! Imagens da Arena Corinthians logo após o desabamento