icons.title signature.placeholder João Vitor Xavier e Verônica Souza
11/11/2013
12:28

Após uma semana infernal, na qual foi rebaixado oficialmente com o Náutico e logo depois dispensado do clube, a luz no fim do túnel chegou para Juan Manuel Olivera. E ela veio em forma de uma indicação para o Prêmio Puskas da Fifa, dedicado aos gols mais bonitos do futebol mundial do ano. O gol marcado pelo uruguaio no clássico com o Sport, pela Copa Sul-Americana, lhe garantiu um lugar entre nomes consagrados do esporte, como Ibrahimovic e Neymar.

Mesmo sem evitar a eliminação para o Leão naquela ocasião, o gol de Olivera (um dos três do jogador pelo clube, em 23 jogos) pode dar um alento à torcida do Náutico. É o que espera o uruguaio que, em entrevista ao LANCE!Net, falou sobre a surpresa da indicação, o que pretende fazer agora que foi dispensado do Timbu e confirmou a proibição de entrar no clube.

Veja o bate-papo:

L!Net: Olivera, parabéns pela indicação ao Prêmio Puskas. Como você recebeu a notícia?
Olivera: Acordei hoje com ligações de gente falando da minha indicação. Estou muito feliz, me sinto abençoado por estar no meio de tantas feras e estar representando o Náutico. Já estou mandando os vídeos para todo mundo que conheço. Quero que todos votem.

L!Net: Já começou a campanha por votos dos amigos e dos torcedores, principalmente do Náutico e do Uruguai?
JMO: Ainda não (risos). Vamos esperar, não sei ainda muito bem como funciona esses votos, mas vi que minha indicação já saiu na imprensa uruguaia. Espero que eles deem uma força, assim como os familiares e os amigos. Mas vai ser difícil ganhar.

Quem ganha? Veja os gols que concorrem ao prêmio Puskas 2013

L!Net: Já viu todos os seus rivais? Não acha que dá para chegar nem entre os três?
JMO: Confesso que ainda não vi todos os indicados, vi alguns só, o do Neymar, do Ibrahimovic...Eu acho que meu gol foi muito bonito, mas o do Neymar, por exemplo, foi um golaço. Vai ser difícil.

L!Net: Já está separando o terno para ir ao prêmio na Suíça?
JMO: Ainda nem sei se vou ser convidado, para mim tudo é muito novo ainda. Acordei, soube, mas não sei como é a eleição direito. Estou esperando para saber se vou ao prêmio ou não.

L!Net: Falando um pouco agora sobre sua situação no Náutico. Como foi a dispensa?
JMO: O presidente dispensou alguns jogadores, mas estamos fazendo o que tem que ser feito e esperando o que vai acontecer, pois tenho contrato até maio de 2014. No momento, não estou treinando nem fazendo tratamento no clube.

L!Net: Você foi mesmo proibido de entrar no Náutico?
JMO: Sim.

L!Net: Voltaria ao clube se eles te quisessem de volta?
JMO: Se o Náutico me quisesse de volta, eu voltaria, não tem problema nenhum. No momento em que o novo presidente tomar o cargo (NR: as eleições ocorrem em dezembro), aí ele decide se vai ou não contar com a gente. A partir daí, vou tomar uma decisão.