icons.title signature.placeholder Guilherme Borini
icons.title signature.placeholder Guilherme Borini
10/07/2013
08:11

A Ponte Preta vive mais um capítulo do seu dilema nesta quarta-feira, às 19h30, no Moisés Lucarelli, em Campinas, quando encara o Nacional-AM, pela primeira partida da terceira fase da Copa do Brasil. Na teoria, o clube campineiro estaria contente pelo adversário que surpreendeu o Coritiba na fase anterior. Mas, na prática, o oponente teoricamente mais fraco só aumenta o impasse na Macaca.

A mudança no calendário das competições nacionais para 2013 impede os clubes que chegam às oitavas de final da Copa do Brasil a participarem da Copa Sul-Americana, o grande sonho da Ponte Preta. Isso porquê o clube campineiro nunca disputou um torneio intercontinental e esta temporada poderia ficar para a história. Caso passe pelo Nacional-AM, a Macaca automaticamente abrirá mão da sua vaga na Copa Sul-Americana, conquistada com a 14ª colocação no Brasileirão do ano passado.

O clube nunca escondeu o desejo de participar da Sul-Americana. Em entrevista ao LANCE!Net, antes do início da segunda fase da Copa do Brasil, em maio deste ano, o presidente pontepretano, Marcio Della Volpe, já admitia o desejo, mas negando qualquer hipótese de entrar para perder.

- Não tem como pedirmos aos jogadores para perder o jogo da Copa do Brasil. Vamos participar naturalmente. Não podemos negar que é o desejo da torcida (a Copa Sul-Americana), mas não podemos instruir os jogadores a perderem um jogo - disse, na ocasião.

Outro ponto citado por Della Volpe foi o prejuízo financeiro que custaria ao clube para realizar o sonho da torcida, já que a Copa do Brasil paga prêmios maiores a cada fase. Nesta temporada, por exemplo, a Macaca já faturou R$ 930 mil - R$ 265 nas duas primeiras fases e R$ 400 mil na terceira. Se seguir adiante, são mais R$ 500 mil nas oitavas, R$ 700 mil nas quartas e R$ 800 mil nas semifinais. Na decisão, o prêmio é de R$ 3 milhão  para o campeão e de R$ 1,8 milhão para o vice. Na Sul-Americana do ano passado, por exemplo, o campeão São Paulo recebeu aproximadamente R$ 2,5 milhões.

Apesar de não ser a prioridade do clube, a campanha da Macaca na Copa do Brasil até agora é perfeita: Passou pelas duas primeiras fases eliminando os adversários na primeira partida, sem a necessidade do jogo de volta: 3 a 0 no Itabaiana-SE, e 3 a 1 sobre o Bragantino.

Às vésperas da terceira fase, o discurso dos diretores pontepretanos continua o mesmo: despistar sobre escolher um torneio ou outro e deixar que o resultado no campo defina o destino do clube. Para a partida desta quarta-feira, o técnico Paulo César Carpegiani vai usar uma equipe mista, com o respaldo da diretoria.

- O Carpegiani é quem decide o time que vai entrar em campo. Independentemente da escalação, terá nosso apoio. A prioridade da Ponte no ano é o Brasileirão - declarou o Executivo de Futebol Ocimar Bolicenho.

Com isso, o treinador pontepretano, que fará sua segunda partida no comando da equipe, aproveitará a partida para testar jogadores que não vêm sendo muito utilizados. Apenas três dos considerados titulares estarão em campo contra o Nacional-AM: o goleiro Roberto, o zagueiro Diego Sacoman e o atacante Chiquinho. A maior expectativa fica por conta da estreia do zagueiro César, destaque do Atlético Sorocaba no Paulistão deste ano.

Nacional quer manter boa fase da Série D na Copa do Brasil

Depois de eliminar o Coritiba e avançar à terceira fase da Copa do Brasil, o Nacional-AM enfrenta a Ponte Preta tentando estender a boa fase na Série D do Campeonato Brasileiro à Copa do Brasil. No Brasileirão, o time soma duas vitórias em dois jogos - 2 a 1 sobre o Náutico-RR e 2 a 0 sobre o Plácido de Castro e lidera o Grupo A1, com seis pontos conquistados.

Durante a pausa para a Copa das Confederações, a equipe se preparou inicialmente para o duelo contra o Genus, marcado para o último domingo, mas suspenso devido à uma liminar concedida a um grupo de torcedores do Remo (PA) que sonham com uma desistência para ter seu representante na competição. Diante da situação, o grupo voltou as atenções para o jogo desta quarta.

No último treino da equipe antes da viagem para Campinas, o técnico Alderbal Lana manteve os 18 jogadores que já havia relacionado para o jogo da Série D. Os únicos desfalques do treinador são o goleiro Jairo, o zagueiro Márcio Abraão - ambos lesionados - e o meia Michel, que já entrou em campo nesta Copa do Brasil pelo Fast Clube.

FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA X NACIONAL-AM
Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)
Data/Hora: 9/7/2013, às 19h30
Ábitro: Luis Teixeira Rocha (RS)
Auxiliares: Altemir Hausmann (RS) e Alexandre A P Kleiniche (RS)

PONTE PRETA: Roberto, Tiago Cametá, César, Diego Sacoman e Rodrigo Biro; Paulo Roberto, Fernando, Roger e Everton Santos; Chiquinho e Alemão. Técnico: Paulo César Carpegiani.

NACIONAL-AM: (Provável escalação) Igor, Eric, Ediglê, Rafael Morisco e Bigú; Denis, Dinamite e Danilo Rios; Felipe, Marcinho e Leonardo - Técnico: Aderbal Lana.

A Ponte Preta vive mais um capítulo do seu dilema nesta quarta-feira, às 19h30, no Moisés Lucarelli, em Campinas, quando encara o Nacional-AM, pela primeira partida da terceira fase da Copa do Brasil. Na teoria, o clube campineiro estaria contente pelo adversário que surpreendeu o Coritiba na fase anterior. Mas, na prática, o oponente teoricamente mais fraco só aumenta o impasse na Macaca.

A mudança no calendário das competições nacionais para 2013 impede os clubes que chegam às oitavas de final da Copa do Brasil a participarem da Copa Sul-Americana, o grande sonho da Ponte Preta. Isso porquê o clube campineiro nunca disputou um torneio intercontinental e esta temporada poderia ficar para a história. Caso passe pelo Nacional-AM, a Macaca automaticamente abrirá mão da sua vaga na Copa Sul-Americana, conquistada com a 14ª colocação no Brasileirão do ano passado.

O clube nunca escondeu o desejo de participar da Sul-Americana. Em entrevista ao LANCE!Net, antes do início da segunda fase da Copa do Brasil, em maio deste ano, o presidente pontepretano, Marcio Della Volpe, já admitia o desejo, mas negando qualquer hipótese de entrar para perder.

- Não tem como pedirmos aos jogadores para perder o jogo da Copa do Brasil. Vamos participar naturalmente. Não podemos negar que é o desejo da torcida (a Copa Sul-Americana), mas não podemos instruir os jogadores a perderem um jogo - disse, na ocasião.

Outro ponto citado por Della Volpe foi o prejuízo financeiro que custaria ao clube para realizar o sonho da torcida, já que a Copa do Brasil paga prêmios maiores a cada fase. Nesta temporada, por exemplo, a Macaca já faturou R$ 930 mil - R$ 265 nas duas primeiras fases e R$ 400 mil na terceira. Se seguir adiante, são mais R$ 500 mil nas oitavas, R$ 700 mil nas quartas e R$ 800 mil nas semifinais. Na decisão, o prêmio é de R$ 3 milhão  para o campeão e de R$ 1,8 milhão para o vice. Na Sul-Americana do ano passado, por exemplo, o campeão São Paulo recebeu aproximadamente R$ 2,5 milhões.

Apesar de não ser a prioridade do clube, a campanha da Macaca na Copa do Brasil até agora é perfeita: Passou pelas duas primeiras fases eliminando os adversários na primeira partida, sem a necessidade do jogo de volta: 3 a 0 no Itabaiana-SE, e 3 a 1 sobre o Bragantino.

Às vésperas da terceira fase, o discurso dos diretores pontepretanos continua o mesmo: despistar sobre escolher um torneio ou outro e deixar que o resultado no campo defina o destino do clube. Para a partida desta quarta-feira, o técnico Paulo César Carpegiani vai usar uma equipe mista, com o respaldo da diretoria.

- O Carpegiani é quem decide o time que vai entrar em campo. Independentemente da escalação, terá nosso apoio. A prioridade da Ponte no ano é o Brasileirão - declarou o Executivo de Futebol Ocimar Bolicenho.

Com isso, o treinador pontepretano, que fará sua segunda partida no comando da equipe, aproveitará a partida para testar jogadores que não vêm sendo muito utilizados. Apenas três dos considerados titulares estarão em campo contra o Nacional-AM: o goleiro Roberto, o zagueiro Diego Sacoman e o atacante Chiquinho. A maior expectativa fica por conta da estreia do zagueiro César, destaque do Atlético Sorocaba no Paulistão deste ano.

Nacional quer manter boa fase da Série D na Copa do Brasil

Depois de eliminar o Coritiba e avançar à terceira fase da Copa do Brasil, o Nacional-AM enfrenta a Ponte Preta tentando estender a boa fase na Série D do Campeonato Brasileiro à Copa do Brasil. No Brasileirão, o time soma duas vitórias em dois jogos - 2 a 1 sobre o Náutico-RR e 2 a 0 sobre o Plácido de Castro e lidera o Grupo A1, com seis pontos conquistados.

Durante a pausa para a Copa das Confederações, a equipe se preparou inicialmente para o duelo contra o Genus, marcado para o último domingo, mas suspenso devido à uma liminar concedida a um grupo de torcedores do Remo (PA) que sonham com uma desistência para ter seu representante na competição. Diante da situação, o grupo voltou as atenções para o jogo desta quarta.

No último treino da equipe antes da viagem para Campinas, o técnico Alderbal Lana manteve os 18 jogadores que já havia relacionado para o jogo da Série D. Os únicos desfalques do treinador são o goleiro Jairo, o zagueiro Márcio Abraão - ambos lesionados - e o meia Michel, que já entrou em campo nesta Copa do Brasil pelo Fast Clube.

FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA X NACIONAL-AM
Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)
Data/Hora: 9/7/2013, às 19h30
Ábitro: Luis Teixeira Rocha (RS)
Auxiliares: Altemir Hausmann (RS) e Alexandre A P Kleiniche (RS)

PONTE PRETA: Roberto, Tiago Cametá, César, Diego Sacoman e Rodrigo Biro; Paulo Roberto, Fernando, Roger e Everton Santos; Chiquinho e Alemão. Técnico: Paulo César Carpegiani.

NACIONAL-AM: (Provável escalação) Igor, Eric, Ediglê, Rafael Morisco e Bigú; Denis, Dinamite e Danilo Rios; Felipe, Marcinho e Leonardo - Técnico: Aderbal Lana.