icons.title signature.placeholder Luis Fernando Coutinho
05/06/2014
14:12

A derrota para Matt Brown no último dia 10 de maio não trouxe apenas um resultado negativo a mais para o cartel de Erick Silva dentro do MMA. Quase um mês após o revés, o capixaba já está de volta aos treinos e mostra que as marcas deixadas pela luta o fizeram avaliar alguns pontos em sua rotina. Em entrevista ao LANCE!Net, o meio-médio anunciou mudanças na carreira em relação a sua preparação, que agora envolverá profissionais especializados em determinadas áreas. A nova postura em relação a própria trajetória no esporte envolve até estudos sobre o funcionamento do corpo humano. 

Embora seu desejo seja voltar o mais rápido o possível ao UFC, antes Erick terá de passar pela primeira cirurgia de sua vida, algo que o mesmo admite adiar por medo há cinco anos. O procedimento será feito para que o lutador conserte um nariz quebrado e um desvio de septo.

- Tenho de fazer uma cirurgia no nariz, para desvio de septo. Tem mais de cinco anos que meu nariz é quebrado. Sempre achei que isso não iria me incomodar, mas meu médico me orientou a operar. Isso atrapalha, pois se as pessoas respiram 100%, eu só tenho metade dessa respiração. Quero me certificar de que nada possa atrapalhar meu rendimento. Não posso dizer que é isso que me atrapalha, mas posso dizer que farei a cirurgia para eliminar mais esse estresse. Minha intenção agora é trabalhar 100% e fazer tudo da manera correta e que tem de ser feita. Confesso que fui prolongando e adiando por receio e medo de fazer uma cirurgia. Nunca fiz uma na vida, mas tem que ser feito. Isso me incomoda pra dormir, treinar. Quero elevar meu rendimento. A primeira coisa que acho que tem que ser mudada é a minha cabeça. E isso já está acontecendo. - explicou o meio-médio, em conversa com o L!Net. 

Segundo o brasileiro, a ideia a partir de agora é cuidar de tudo o que puder em relação ao corpo para que nada dê errado na hora do combate. Erick já começou esse trabalho junto a membros de sua equipe, a X-Gym.

- Lógico que após uma derrota ficamos tristes. Tenho certeza de que meu camp foi muito bom. Treinei muito, mais que todo mundo. Estava muito bem e confiante para essa luta. Não entendi por quê cansei. Hoje em dia, estamos vendo muitas coisas, trabalhando com médico ortomolecular, um dos melhores, e vamos fazer um trabalho mais profissional agora, algo que não tinha - declarou.

 
Erick foi nocauteado por Matt Brown no terceiro round (FOTO: Getty Images)

Confira um bate-papo com Erick Silva
Como foram os dias depois da luta?
Acabou a luta, dei uma descansada e só. Agora é começar tudo novamente. Tudo o que passou e ficou de ruim é apagar e começar uma nova história. Quero aprimorar o que falta e melhorar nas áreas que preciso. Começar tudo novamente.

Esse trabalho que você citou envolve também a parte psicológica? Rogerão (preparado físico) afirmou que talvez a adrenalina tenha consumido sua energia durante a luta...
Claro. Temos de trabalhar todas as áreas. Tenho de escutar e absorver tudo e todos. O que eu achar que é bom pra mim, vou absorver. O que não for, descarto. Vou fazer o que for necessário para eu melhorar. Já era para ter feito, mas não fizemos, infelizmente, e agora vou fazer. Vou procurar especialistas em todas as áreas, reconhecer meu corpo e estudar minha fisiologia. O que posso ou não fazer? Quero discutir mais com meus treinadores. Sempre confiei na minha equipe, mas sempre fiz tudo o que mandavam e muitas vezes nem sabia e nem perguntava do que se tratava. Chega um momento que temos de evoluir. Tenho de tomar conta da minha vida profissional e saber o que tenho de fazer. Eu que vou tomar as decisões a partir de agora. Quero me especializar nos assuntos que são discutidos. Quero ter um reconhecimento maior do meu corpo para poder discutir com meus treinadores e saber o que é melhor ou não pra mim.

Você considera fazer experiência em academias de fora?
Com certeza. Visitando a casa de outras pessoas, a gente consegue visualizar a forma que eles fazem para poder arrumar a própria casa. É válido ir buscar experiência. Não vou fazer meu camp lá fora, não tenho essa certeza e nem posso afirmar nada ainda. Tenho meus treinadores aqui, confio muito neles. Acho que todos eles são profissionais e capazes de me treinar. Mas em algum pontos acho necessário buscar algo diferente lá fora, até mesmo pra conhecer e ver como é. Quero tentar fazer isso com pessoas que confio e que sei que lá na frente não vão me tratar de forma negativa. Estamos vendo isso. As conversas estão bem adiantadas. Ainda não posso falar nada, mas, se fechar, 90% de chances de dar certo. Vai ser muito bom pra mim. 

Em quanto tempo você pretende voltar?
Eu, o Erick atleta, quer lutar o mais rápido o possível. Falei para o meu empresário que posso voltar no final de agosto ou início de setembro. Não tive nenhuma suspensão, apesar do que muitos falaram. A única coisa que tive foram dois cortes pequenos na testa. Não tive mais nada. Exames bons, treinei jiu-jitsu na minha academia na semana seguinte. Pelo fato deu ter saído de maca as pessoas tiveram essa impressão. Mas foi mais uma decisão dos médicos. Foram golpes duros, mas não cheguei a apagar. Foram só dois cortes e preferiram me imobilizar. No outro dia, estava bem e tranquilo. Não tive nenhuma lesão séria nem nada. Agora, estou aprimorando a parte técnica e descansando a mente, que também faz parte do processo.