icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
30/07/2014
16:46

O volante Arouca pode ser considerado um exemplo de fair play (expressão muito utilizada pela Fifa, que quer dizer "jogo limpo"). Nesta quarta-feira ele completa oito anos sem ser expulso. O último cartão vermelho recebido pelo volante foi em 2006, quando ainda defendia o Fluminense.

Apesar de ser um dos principais marcadores do Peixe, ele recebeu só um amarelo nesta temporada, na final do Paulista, contra o Ituano.

- Sei que é um caso raro para um volante ficar tanto tempo sem ser expulso. Estamos sujeitos a isso, principalmente por ter de dar combate no meio de campo o tempo todo. As faltas fazem parte, especialmente porque marcamos os jogadores de criação e com mais habilidade. Mas é importante ficar sem tomar cartões e evitar desfalcar a equipe, para estar sempre à disposição do treinador. Fico feliz por alcançar essa marca, pois também é o resultado do meu trabalho no dia a dia - comentou o jogador.

Desde o último cartão vermelho recebido, Arouca entrou em campo mais 397 vezes. Antes, só havia sido expulso uma única vez.

- Acho que existem vários motivos para atingir essa marca. O primeiro é procurar me posicionar bem e não chegar atrasado nas jogadas. Além disso, sempre estar bem fisicamente, para que tenha alguma vantagem na disputa de bola, e também ter respeito pelo adversário. Nunca devemos tirar o pé numa dividida, é preciso estar disposto e lutar em campo sempre, especialmente quando se tem como principal função a marcação. Mas não existe motivo para ser desleal com um companheiro de profissão. Por isso, procuro fazer os desarmes e cometer o menor número de faltas possível durante as partidas - falou o jogador, que tem contrato com o Peixe até 2016.