icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
15/03/2014
15:34

O América-MG joga neste domingo contra a Caldense, em Poços de Caldas, e só depende dele para entrar na semifinal do Campeonato Mineiro. O Coelho tem 15 pontos e está na quarta colocação. É a mesma pontuação do Tupi, que joga em casa no domingo contra o vice-lanterna Guarani. A diferença entre os dois está nos gols marcados: são 12 de Coelho contra dez do Tupi.

Para se classificar, o América precisa vencer e não ter a diferença de gols descontada pelo Galo Carijó. Outra possibilidade de classificação é um empate, desde que Tupi e Tombense, adversários diretos pela vaga, não vençam. Se perder, o Coelho está fora e a Caldense entra na briga pelo acesso.

Por toda essa matemática, o artilheiro do time no Estadual com seis gols, Obina, disse que apesar da concentração no jogo, vai ficar de ouvidos ligados no sistema de som do estádio Ronaldão.

- É lógico que a gente não vai deixar de ouvir. A gente está ali dentro de campo e anúncia, vai ouvir, é normal. Mas acho que precisamos sempre manter a tranquilidade e fazer o melhor para tentar conseguir os gols quando tivermos oportunidade - declarou Obina.

O atacante avisou que também vai ficar de olho na artilharia. Há três jogos ele não marca e na última rodada foi superado pelo experiente Mancini, do Villa Nova, que agora tem sete gols. No entanto, Obina disse que não pretende ser fominha.

- A gente quer ser artilheiro. Atacante, como sempre falo, vive de gols. Então, nesse momento é um objetivo a mais para mim: conseguir fazer mais gols e conseguir a artilharia. Mas claro que se tiver um companheiro melhor colocado para fazer o gol, eu estiver com a bola e tiver a oportunidade, eu vou passar para ele fazer o gol. Se ele fizer e o América sair com a vitória, isso que é importante - disse.

O América já esteve na zona de rebaixamento e deu uma arrancada com a chegada do técnico Moacir Júnior. Desde então são três vitórias e um empate que deixaram o Coelho no G4.