icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
25/11/2013
08:01

São Januário é a casa do Vasco e todo vascaíno tem grande orgulho dela. Mas é inegável que o Maracanã tem feito muito bem ao Cruz-Maltino, principalmente nesta reta final do Brasileiro. Arquibancada cheia, apoio incondicional e equipe correspondendo em campo. E sem o turbilhão político que normalmente toma conta da Colina também em dia de jogos.

O aproveitamento do Vasco no Maracanã, inclusive, já é superior ao de São Januário no segundo semestre desta ano. O número de pontos conquistados é quase o dobro.

Na Colina, o time acumula duas vitórias, dois empates e três derrotas, com aproveitamento de 38%. Já no Maracanã, são três vitórias, dois empates e somente uma derrota, somando um aproveitamento de 61%.

Inicialmente, o Vasco resolveu mandar jogos no Maracanã porque São Januário passava por reformas no teto da marquise. Mas como os resultados foram positivos e a torcida abraçou, enchendo a arquibancada, a diretoria optou por mandar os jogos no estádio na reta final de competição. Contra o Cruzeiro, no sábado, foram quase 40 mil pessoas (38.654 presentes) e vitória cruz-maltina. No domingo, o jogo diante do Náutico também será no Maior do Mundo.

– A torcida vai abraçar, por ser o último jogo em casa também. Convoco novamente nossa torcida. precisamos do incentivo dela para que, juntos, consigamos o objetivo, que  é permanência na Série A – disse o técnico Adilson Batista.

Após enfrentar o Timbu, no Maracanã, a equipe jogará contra o Atlético-PR, em Joinville, no último jogo da temporada. Tal fator, unido à boa vitória sobre o Cruzeiro, faz a diretoria crer em uma alta venda de ingressos para o duelo com o Náutico, com possibilidade de quebra do próprio recorde no estádio. Contra o Santos, 50.421 pessoas pagaram para assistir à partida, que terminou 2 a 2.

– O Vasco não é nada sem a torcida. Todo mundo pensava que perderíamos (para o Cruzeiro), mas deu tudo certo. Vamos agora pensar no Náutico, precisamos vencer – ressaltou o atacante Edmilson.