icons.title signature.placeholder Fábio Aleixo
04/11/2013
14:16

Líder do ranking mundial, Rafael Nadal chegou para sua coletiva de imprensa das Finais da ATP de Londres (ING) bastante descontraído e tomando um milkshake de morango. Durante 20 minutos, respondeu diversas questões dos jornalistas e afirmou que terminar o ano como número 1 do mundo não é mais o seu objetivo.
 
- O número 1 não é mais um objetivo. Era um objetivo em 2008. Lá eu sentia que tinha uma grande carreira e se não tivesse sido número 1 seria ruim. Hoje a meta é estar saudável, competitivo, feliz, fazer bom torneios. Fico mais feliz em ganhar um torneio do que ser número 1. Para mim não importa. Não me faz sentir especial. Me sinto mais especial quando sinto que estou bem para jogar - disse Nadal.
 
Para terminar um ano pela terceira vez na ponta do ranking, Nadal precisa apenas de duas vitórias nas Finais da ATP. Sua estreia ocorre nesta terça-feira, às 18h (de Brasília), contra o compatriota David Ferrer (3º).
 
Apesar de dizer que ser número 1 não é tão importante, Nadal ressaltou a dificuldade que foi alcançar esta posição na temporada. Em fevereiro, ele retornou às quadras após quase nove meses inativo por causa de uma lesão no joelho esquerdo. Desde então, ganhou dez títulos, sendo dois de Grand Slams (Roland Garros e Aberto dos Estados Unidos).
 
- Com certeza (voltar a ser número 1) foi a coisa mais difícil que fiz na minha carreira. Sei que vocês (jornalistas) gostam da história de ser ou não o número 1. Mas para mim neste ano esta não a história. Depois de muito meses sem a chance de competir, de treinar, eu fui capaz de voltar, fui capaz de vencer desde o começo, ser muito competitivo. Esta é a história real deste ano. As emoções foram altas durante muitos momentos, estas emoções são muito mais especiais do que ser número 1. Eu já terminei dois anos como numero 1. Se acontecer de novo ótimo, mas sinto que no fim da minha carreira não vai afetar em nada  - afirmou o espanhol.
 
Em Londres, Nadal, além de brigar para fechar o ano no ponta do ranking, tenta o único grande título que lhe falta. Se conseguir, se igualará Andre Agassi, que venceu os quatro Grand Slams, a medalha de ouro em simples na Olimpíada, as Finais da ATP e a Copa Davis.
 
Nas Finais da ATP, o espanhol tem como melhor resultado o vice-campeonato em 2010.
 
- Espero conseguir este título em algum ano, porque as chances vão acabando. Não vou jogar até os 50 anos. Evidentemente, até que termine a minha carreira vou tentar dar o meu melhor - completou Nadal.
 
*O repórter viaja a convite da ATP