icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
05/04/2014
17:58

Com o caixa apertado, o Criciúma teve que inovar na hora de buscar reforços para o resto da temporada. A resposta veio em jogadores "esquecidos" pelos seus respectivos clubes, e que há muito não disputam uma partida profissional. É esse o perfil do lateral Bruno Cortez e do atacante André Lima, recém-chegados a Santa Catarina.

André Lima está sem jogar desde julho do ano passado, quando fez sua estreia pelo Vitória, e se machucou no mesmo jogo. Com uma lesão grave no joelho esquerdo, levou seis meses pra se recuperar, sendo liberado pelo clube rubro-negro para buscar outro time para jogar.

- Tive uma lesão não muito fácil. Foram praticamente sete meses de recuperação. Agora é só parte física e esperar umas três semanas para ajudar a equipe do Criciúma. Conheço muitos atletas do elenco, o Paulo Baier, o Everton, o Fabío Ferreira...Tem muitos jogadores de qualidade, assim como alguns meninos. Conversei com o professor Caio, um treinador que conheço há bastante tempo, e espero fazer um grande trabalho.

Já Bruno Cortez foi emprestado ao Tigre pelo São Paulo, que possui seus direitos econômicos, e fez sua última partida em dezembro do ano passado, quando estava emprestado ao Benfica, de Portugal. Após passagens por Botafogo (onde trabalhou com Caio Júnior) e São Paulo, o lateral-esquerdo não acredita que esteja retrocedendo ao voltar a atuar em um time de interior, lembrando que foi revelado pelo Nova Iguaçu.

- Não é um recomeço. Cada clube tem um começo, agora é o Criciúma. Se fosse o São Paulo ou outro clube seria a mesma coisa. Sei da importância e da grandeza do Criciúma. Estou aqui para mostrar meu trabalho, com um professor que me ajudou muito, até quando estive na seleção. Acho que tem todas as condições para se fazer bom trabalho.