icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese
12/06/2014
07:30

Enquanto a Copa do Mundo não chega, o jeito é... dançar com uma tribo indígena no treino, virar uma tripulação de um veleiro, vestir a camisa do Bahia e cantar o hino do clube, visitar uma escola e jogar bola com crianças... Esta é a seleção da Alemanha em Santo André, vila do município de Santa Cruz Cabrália, no sul da Bahia.

A simpatia germânica já é destaque e tem conquistado os moradores da região. Até mesmo a escolta da Companhia da Mata Atlântica da Polícia Militar da Bahia foi motivo de brincadeira dos jogadores, que postaram no Instagram uma foto ao lado dos policiais fazendo a pose com “cara de bravo”.

A Alemanha estreia na Copa no dia 16, diante de Portugal, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Na Copa da simpatia, porém, os germânicos já estão com a mão na taça.

Veja o que fez os alemães conquistaram o povo da Bahia:

1. Simpatia desde a chegada

Desde domingo no sul da Bahia, os jogadores da Alemanha sempre retribuíram o carinho dos fãs. Imagem mostra a balsa de Santa Cruz Cabrália para a vila de Santo André, de 800 habitantes, onde a delegação tem um complexo de casas e um campo à disposição. Sempre que funcionários pedem, eles dão autógrafos e tiram fotos. Quase todo dia fotos com os novos ídolos surgem (Foto: Patrik Stollarz/AFP)

2. Dança com índios da tribo Pataxó

O treino de segunda-feira no Campo Bahia foi aberto para o público. Cerca de 300 torcedores compareceram, mas 20 chamaram a atenção. Indígenas da tribo Pataxó, da praia de Coroa Vermelha, em Santa Cruz Cabrália, apareceram. Eles puderam entrar no gramado após a atividade e deram um arco e flecha e um instrumento musical ao atacante Miroslav Klose, que completou 36 anos no dia. Depois, eles fizeram uma dança e os alemães, sem hesitar, entraram no clima e também dançaram (Foto: Felipe Bolguese)

3. Camisa e hino do Bahia

O goleiro Manuel Neuer e o volante Bastian Schweinsteiger viraram ídolos do Bahia. A explicação: os dois haviam recebido a camisa do clube do zagueiro Dante, companheiro deles no Bayern de Munique (ALE) e, claro, torcedor tricolor. Ao saírem do complexo daquele jeito, foram reconhecidos por moradores que por lá passavam, que não perderam a chance. Os dois, de forma simpática, pediram para que os presentes os ajudassem a cantar o hino do Bahia, para que um vídeo fosse enviado a Dante, que está concentrado com a Seleção Brasileira. O problema foi que os torcedores também filmaram e a ideia "vazou" nas redes sociais (Foto: Jornal A Tarde)

4. Passeio na praia e no barco

Com a manhã livre na última terça, os jogadores tiveram um dia diferente. Alguns foram convidados a um passeio de barco na praia de Santo André. Lá, tiveram uma experiência com o explorador Mike Horn, que deu uma palestra motivacional em alto-mar. O grupo também atuou como tripulação do barco e ajudou a girar as velas. Trabalho em equipe para o corpo e para a mente. Outros jogadores deram uma volta na praia e tiraram fotos com diversos fãs (Foto: Reprodução/Instagram)

5. Farra com crianças em escola

Nesta quarta, Özil, Podolski, Großkreutz, Schweinsteiger, Ginter, Draxler e o gerente Oliver Bierhoff visitaram a escola municipal de Santo André, que conta com menos de cem alunos, de primeira à quarta séries. Descontraídos, os jogadores brincaram a todo momento e não se recusaram em atender todo mundo. No fim, eles ainda jogaram bola com as crianças (Foto: Felipe Bolguese)

6. Cara de mau com policiais

A segurança reforçada pela Companhia da Mata Atlântica da Polícia Militar da Bahia tem chamado a atenção dos jornalistas estrangeiros, que questionam as forças excessivas no complexo da seleção e nos deslocamentos. A delegação germânica, no entanto, não vê problema. Özil e Podolski, inclusive, tiraram fotos brincando com a situação e caíram ainda mais nas graças dos brasileiros (Foto:  Reprodução/Instagram)