icons.title signature.placeholder Evandro Pelligrinotti - Craque do Futuro
15/12/2013
16:44

O mais novo xodó da maior torcida do Brasil está de férias e aproveitou para rever os ex-companheiros de XV de Piracicaba. Paulinho conseguiu em pouco tempo conquistar o coração da fanática e exigente torcida do Flamengo. Fazendo dupla de ataque com Hernane, o Brocador, levantou a taça da Copa do Brasil e agora se prepara  para disputar a maior competição da América do Sul, a Taça Libertadores da América.

Emprestado pelo XV ao clube carioca após o Paulistão deste ano, junto com o volante Diego Silva, o atleta, que tem contrato com o Rubro-Negro até o dia 30 de junho, curte suas férias em Piracicaba e se reapresenta no dia 8 de janeiro para iniciar a preparação para a temporada 2014. Em entrevista ao LANCE!Net o atacante falou sobre os primeiros meses no Rio de Janeiro, a gratidão ao ex-clube e revelou os planos para o futuro.

CONFIRA O BATE-BOLA COM PAULINHO:

LANCE!Net: Você e o Diego Silva chegaram ao Flamengo vindos de um clube do interior. Como foi a recepção?

Paulinho: Fomos bem recebidos, até mais do que esperávamos. Só a torcida que tinha muita dúvida em cima da gente. Eles esperavam contratações de jogadores com nome, chegamos com um pouco de desconfiança. Mas, ao longo dos campeonatos, fomos mostrando nosso futebol e hoje somos queridos lá.

L!Net: A ida do Diego Silva junto com você ajudou na sua adaptação?

P: Ajudou bastante, a gente concentrava juntos aqui no XV. Quando chegamos lá, conversamos bastante, ficamos juntos, procurando um ajudar o outro.

L!Net: Como foi chegar no clube e dar de cara com jogadores já consagrados?

P: Fiquei bastante surpreso. Quando chegamos para fazer a pré-temporada em Pinheiral (RJ), Diego Silva e eu vimos jogadores como Renato Abreu, Elias, Felipe, Léo Moura. Só assistia a eles quando frequentava o estádio para ver os jogos. Então, com a chegada ao Flamengo, estava realizando um sonho de jogar em um time grande do Brasil, jogando ao lado de grandes jogadores.

L!Net: Esperava ter esse sucesso tão rápido no Flamengo?

P: Na verdade, não. Esperava entrar aos poucos no time para ir me adaptando, mas tive oportunidade de entrar na fase decisiva da Copa do Brasil, quando consegui dar uma assistência para o gol do Elias. A partir disso, fui adquirindo mais confiança, não só dentro do campo, mas com o grupo inteiro e o treinador, que na época era o Jorginho. Depois, com a chegada do Mano, tive altos e baixos. Fazia alguns jogos como titular e, outros, começava no banco. Quando o Jayme de Almeida chegou, tive a minha maior sequência no campeonato. Isso me ajudou bastante e, com o apoio do grupo, meu futebol cresceu.

L!Net: Como é ouvir o Maracanã lotado gritando seu nome?

P: Só no momento que os torcedores gritam seu nome você sabe a sensação. Fiquei muito feliz em ouvir a torcida gritar meu nome. Eles me acolheram bem, passaram a me respeitar mais, então tinha que me dedicar e dar tudo de mim. Não estava representando só a mim e a minha família, mas também o XV de Piracicaba.

L!Net: O que mudou na troca de comando do Mano Menezes para o Jayme de Almeida?

P: Mudou a forma de jogar. O Jayme deixou a gente livre dentro de campo, conversava bastante com os jogadores, queria saber a opinião de todos e foi dando bastante sequência aos atletas. Quando ele assumiu, passou muita confiança ao elenco e isso deu resultado. Conseguimos a permanência do Flamengo na Série A e a conquista da Copa do Brasil.

L!Net: Esse foi o fator principal para a conquista da Copa do Brasil?

P: Acho que sim. Ele tinha a confiança do grupo inteiro, nós fechamos junto com o Jayme. Não deixamos nada de fora interferir dentro do grupo. A vontade e a união que tivemos também contaram muito pra conquista.

L!Net: Como está a expectativa para disputar uma Libertadores?

P: A expectativa é grande. Eu mesmo só joguei a primeira divisão do Campeonato Paulista. No Flamengo tive oportunidade de jogar competições nacionais. Mas agora, é hora de ficar tranquilo, aproveitar as férias e, na hora que voltarmos, focar na Libertadores.

L!Net: O Paulo Pelaipe, diretor executivo do Flamengo, disse que você já tem um pré contrato para permanecer no clube após o término do seu empréstimo. Já há algo assinado?

P: Não, o que tenho é o contrato de empréstimo com o Flamengo. Quando esse contrato acabar, tudo será resolvido pelas diretorias do XV e do Flamengo.

L!Net: Você ainda acompanha o XV?

P: Sim, assisti a maioria dos jogos da Copa Paulista. Tenho acompanhado bastante, os horários dos jogos do XV estavam batendo com os horários da nossa concentração. O XV estava vindo bem, teve apenas um mal momento quando sofreu o gol dentro de casa. Não conseguiu chegar à final, mas fez um belo campeonato.

O que representou o XV em sua carreira?

P: O XV foi a minha história, todo meu sucesso foi aqui. Tenho que agradecer à torcida e à cidade de Piracicaba, que sempre me apoiou. Quero agradecer também ao Paulo Moraes (gerente de futebol do XV de Piracicaba) que foi atrás de mim em Guarulhos. Sempre serei grato a ele e ao XV.