icons.title signature.placeholder Caio Carrieri
17/11/2013
07:05

As entrevistas coletivas de Luiz Felipe Scolari têm um cardápio farto para os interlocutores do treinador, que oferece de tudo: sorrisos, caretas, irritação, ironia, otimismo. O último ingrediente citado deu o tempero do pronunciamento do técnico depois da goleada por 5 a 0 para Honduras, no Life Stadium, em Miami (EUA), nesse sábado.

Engana-se quem pensa que a confiança foi externada por causa do resultado construído diante do inexpressivo adversário em termos futebolísticos. Felipão admitiu que, antes de construir o placar elástico, seu time tomou sustos na Flórida além do necessário.

Por sua vez, o recado de esperança foi dado quando um jornalista estrangeiro o questionou se existe pressão para a Seleção ser campeã da Copa em casa, mais de meio século depois do Maracanazzo, em 1950, diante do Uruguai.

- O Brasil não tem pressão para ser campeão. O Brasil vai ser campeão - sentenciou Scolari, arrancando sorrisos dos presentes na sala de imprensa.

Um pouco antes, o comandante do Penta já havia dado de ombros para a possibilidade de haver nova frustração no Maracanã, desta vez em julho de 2014.

- Se eu não achasse que poderia ganhar, eu não iria dirigr a seleção do Brasil, eu ficaria em casa. Eu acredito 100% que vou ganhar o Mundial pelo Brasil.

Na reta final de preparação para a Copa, a Seleção faz o último amistoso de 2013 nesta terça-feira, em Toronto (CAN), contra o Chile.


*O repórter viaja a convite da Gillette