icons.title signature.placeholder Rodrigo Ciantar
icons.title signature.placeholder Rodrigo Ciantar
18/07/2013
07:06

Dorival Júnior comandou um coletivo na tarde de quarta-feira dando mostras da equipe que deverá enfrentar o Fluminense. A grande novidade ficou por conta da presença de Henrique, cria da base, na lateral esquerda. Recém promovido pelo treinador vascaíno, ele chega aos profissionais com ótimas referências e já com a responsabilidade de ser comparado a um dos maiores ídolos da história do clube: Felipe.

Oriundo do Olaria, Henrique chegou ao Vasco em 2005 para as categorias de base. Canhoto, lateral-esquerdo habilidoso, não demorou a ouvir comparações com Felipe no dia a dia. O Maestro também começou cedo na Colina e surgiu na lateral, apesar de há alguns anos ter sido deslocado para o meio de campo.

E MAIS
- Lateral Henrique comemora treino entre os titulares do time do Vasco
- Eurico convoca vascaínos a comprarem ingressos para o lado direito do Maraca

ASSISTA TAMBÉM
- Dinamite se diz a favor de vascaínos que não forem ao Maracanã

O topetinho, característico de Felipe no início da carreira, também é alvo de comparações.

Mauro Galvão conhece bem os dois atletas. Ainda como jogador, acompanhou o comecinho da carreira de Felipe na Colina. E, atualmente, é coordenador da base do Vasco. Para ele, há semelhanças, mas o estilo de jogo é bem diferente.

- O fato de ter o pé esquerdo, habilidoso, lembra. Mas o estilo do Henrique é outro. Ele é de velocidade, busca a tabela e vai para o cruzamento. Tem qualidades também, mas é diferente. O Felipe era mais clássico, com drible forte, de lançamentos - disse Mauro Galvão.

Com Yotún lesionado, Henrique tem grandes chances de estrear contra o Fluminense. E não custa nada lembrar que Felipe também fez a primeira partida pelos profissionais do Vasco em um clássico. Foi no Brasileiro de 1996, contra o Botafogo.

Entre elogios a Henrique, Galvão, porém, diz que é preciso evitar qualquer oba-oba neste primeiro momento e deixar o jovem jogador mostrar seu futebol.

- É um jogador que já faz parte dos juniores, vem atuando nas categorias de base do Vasco. Nós sempre ficamos satisfeitos quando um atleta é chamado e treina bem. Mas sabemos que tem muita coisa pela frente ainda. Temos de ter cuidado, deixar ele trabalhar bem. O Dorival, logo em seus primeiros dias de Vasco, ter feito um treino com os juniores é muito positivo. É a única forma de conhecer a base. Uma coisa é eu falar que um jogador é assim ou assado. Outra coisa é o próprio técnico observar - ressaltou Mauro Galvão.

Henrique foi promovido na terça-feira. O garoto, pelos juniores, enfrentou os reservas do Vasco, em jogo-treino, e se destacou, chamando atenção de Dorival Júnior.

Dorival Júnior comandou um coletivo na tarde de quarta-feira dando mostras da equipe que deverá enfrentar o Fluminense. A grande novidade ficou por conta da presença de Henrique, cria da base, na lateral esquerda. Recém promovido pelo treinador vascaíno, ele chega aos profissionais com ótimas referências e já com a responsabilidade de ser comparado a um dos maiores ídolos da história do clube: Felipe.

Oriundo do Olaria, Henrique chegou ao Vasco em 2005 para as categorias de base. Canhoto, lateral-esquerdo habilidoso, não demorou a ouvir comparações com Felipe no dia a dia. O Maestro também começou cedo na Colina e surgiu na lateral, apesar de há alguns anos ter sido deslocado para o meio de campo.

E MAIS
- Lateral Henrique comemora treino entre os titulares do time do Vasco
- Eurico convoca vascaínos a comprarem ingressos para o lado direito do Maraca

ASSISTA TAMBÉM
- Dinamite se diz a favor de vascaínos que não forem ao Maracanã

O topetinho, característico de Felipe no início da carreira, também é alvo de comparações.

Mauro Galvão conhece bem os dois atletas. Ainda como jogador, acompanhou o comecinho da carreira de Felipe na Colina. E, atualmente, é coordenador da base do Vasco. Para ele, há semelhanças, mas o estilo de jogo é bem diferente.

- O fato de ter o pé esquerdo, habilidoso, lembra. Mas o estilo do Henrique é outro. Ele é de velocidade, busca a tabela e vai para o cruzamento. Tem qualidades também, mas é diferente. O Felipe era mais clássico, com drible forte, de lançamentos - disse Mauro Galvão.

Com Yotún lesionado, Henrique tem grandes chances de estrear contra o Fluminense. E não custa nada lembrar que Felipe também fez a primeira partida pelos profissionais do Vasco em um clássico. Foi no Brasileiro de 1996, contra o Botafogo.

Entre elogios a Henrique, Galvão, porém, diz que é preciso evitar qualquer oba-oba neste primeiro momento e deixar o jovem jogador mostrar seu futebol.

- É um jogador que já faz parte dos juniores, vem atuando nas categorias de base do Vasco. Nós sempre ficamos satisfeitos quando um atleta é chamado e treina bem. Mas sabemos que tem muita coisa pela frente ainda. Temos de ter cuidado, deixar ele trabalhar bem. O Dorival, logo em seus primeiros dias de Vasco, ter feito um treino com os juniores é muito positivo. É a única forma de conhecer a base. Uma coisa é eu falar que um jogador é assim ou assado. Outra coisa é o próprio técnico observar - ressaltou Mauro Galvão.

Henrique foi promovido na terça-feira. O garoto, pelos juniores, enfrentou os reservas do Vasco, em jogo-treino, e se destacou, chamando atenção de Dorival Júnior.