icons.title signature.placeholder Michel Castellar
icons.title signature.placeholder Michel Castellar
25/07/2013
08:22

O novo autódromo do Rio, em Deodoro, só ficará pronto em dezembro de 2014, após uma decisão judicial acarretar um atraso de no mínimo seis meses no projeto executivo. Com o atual cronograma de obras, a instalação receberá corridas em janeiro de 2015.

– A Fundação Getúlio Vargas já iniciou os estudos para a confecção do EIA/Rima e levará entre seis e oito meses. Não será mais possível inaugurar o autódromo no fim deste ano. Só no fim de 2014 – explicou o secretário nacional de Alto Rendimento, Ricardo Leyser.

O impasse a respeito do novo autódromo começou quando o Ministério Público entrou com uma ação exigindo a apresentação do EIA/Rima, em maio. Estes dois documentos são estudos ambientais referentes aos impactos produzidos pela obra tanto no local da instalação quanto no entorno.

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) tinha liberado o Ministério do Esporte de apresentar o documento e concedido uma licença prévia para o início das obras. Mas uma liminar favorável ao MP paralisou todo a elaboração do projeto executivo, porque o documento não poderia ser finalizado, caso o EIA/Rima fosse necessário.

Esta paralisação começou em maio, quando a Justiça determinou a necessidade dos dois documentos, o que atrasará a obra.

– Fizemos uma série de avaliações, porque o Inea deu a licença prévia e fez uma monte de exigências. O EIA/Rima não era necessário, mas faremos – frisou Leyser.

O Rio precisou erguer um novo autódromo, porque o antigo, o Nelson Piquet, em Jacarepaguá, foi destruído para a construção do Parque Olímpico dos Jogos Rio-2016. A princípio, ele seria construído pelo estado com recursos repassados pela União.

Mas, como o L!Net revelou na quarta-feira, a prefeitura assumirá a construção do autódromo e utilizará o dinheiro federal.

______________________________________

Com a palavra

Felippe Zeraik
Diretor Jurídico da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA)

"O MP, desta vez, serviu para atrapalhar"

Agora, a CBA nada pode fazer, porque foi uma decisão judicial. Tentamos mudar a sentença mas não deu.
O Ministério Público, às vezes, ajuda. Mas também, às vezes, atrapalha. E foi o que aconteceu.
E sou obrigado a isentar de culpa tanto o Ministério do Esporte quanto a prefeitura do Rio. Não posso colocar a culpa neles.
Perderemos estes seis meses para atendermos aos requisitos da Justiça e vamos torcer para que não seja necessário mais tempo.
Infelizmente, o ano de 2014 para o automobilismo no Rio também está perdido. O calendário terá de ser disputado, a exemplo deste ano, fora da cidade.
A única questão tranquilizadora nisso tudo é que o projeto executivo da instalação está praticamente concluído. Assim que o Ministério do Esporte terminar os estudos ambientais exigidos pela Justiça, todo o escopo do novo autódromo poderá ser finalizado.

______________________________________

Exército continua a limpar o local

A descontaminação do terreno onde será erguido o novo autódromo do Rio, em Deodoro, na Zona Oeste, continua. O exército, antigo proprietário da área, procura artefatos explosivos no terreno.

– Esta descontaminação vai terminar antes de produzirmos o EIA/Rima. Já poderíamos estar trabalhando em parte do terreno, mas, agora, vamos precisar terminar o estudo ambiental – disse o secretário nacional de Alto Rendimento, Ricardo Leyser.

Em 1958, paióis localizados no terreno do novo autódromo explodiram e espalharam artefatos por toda a região de Deodoro. Por isso, o exército está descontaminando o local para liberar a construção do autódromo.

– Estamos recuperando uma área degradada. Lá não é um paraíso onde colocaremos um autódromo. Vamos criar um parque, com um autódromo, em uma área degradada – afirmou Leyser.

O novo autódromo do Rio, em Deodoro, só ficará pronto em dezembro de 2014, após uma decisão judicial acarretar um atraso de no mínimo seis meses no projeto executivo. Com o atual cronograma de obras, a instalação receberá corridas em janeiro de 2015.

– A Fundação Getúlio Vargas já iniciou os estudos para a confecção do EIA/Rima e levará entre seis e oito meses. Não será mais possível inaugurar o autódromo no fim deste ano. Só no fim de 2014 – explicou o secretário nacional de Alto Rendimento, Ricardo Leyser.

O impasse a respeito do novo autódromo começou quando o Ministério Público entrou com uma ação exigindo a apresentação do EIA/Rima, em maio. Estes dois documentos são estudos ambientais referentes aos impactos produzidos pela obra tanto no local da instalação quanto no entorno.

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) tinha liberado o Ministério do Esporte de apresentar o documento e concedido uma licença prévia para o início das obras. Mas uma liminar favorável ao MP paralisou todo a elaboração do projeto executivo, porque o documento não poderia ser finalizado, caso o EIA/Rima fosse necessário.

Esta paralisação começou em maio, quando a Justiça determinou a necessidade dos dois documentos, o que atrasará a obra.

– Fizemos uma série de avaliações, porque o Inea deu a licença prévia e fez uma monte de exigências. O EIA/Rima não era necessário, mas faremos – frisou Leyser.

O Rio precisou erguer um novo autódromo, porque o antigo, o Nelson Piquet, em Jacarepaguá, foi destruído para a construção do Parque Olímpico dos Jogos Rio-2016. A princípio, ele seria construído pelo estado com recursos repassados pela União.

Mas, como o L!Net revelou na quarta-feira, a prefeitura assumirá a construção do autódromo e utilizará o dinheiro federal.

______________________________________

Com a palavra

Felippe Zeraik
Diretor Jurídico da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA)

"O MP, desta vez, serviu para atrapalhar"

Agora, a CBA nada pode fazer, porque foi uma decisão judicial. Tentamos mudar a sentença mas não deu.
O Ministério Público, às vezes, ajuda. Mas também, às vezes, atrapalha. E foi o que aconteceu.
E sou obrigado a isentar de culpa tanto o Ministério do Esporte quanto a prefeitura do Rio. Não posso colocar a culpa neles.
Perderemos estes seis meses para atendermos aos requisitos da Justiça e vamos torcer para que não seja necessário mais tempo.
Infelizmente, o ano de 2014 para o automobilismo no Rio também está perdido. O calendário terá de ser disputado, a exemplo deste ano, fora da cidade.
A única questão tranquilizadora nisso tudo é que o projeto executivo da instalação está praticamente concluído. Assim que o Ministério do Esporte terminar os estudos ambientais exigidos pela Justiça, todo o escopo do novo autódromo poderá ser finalizado.

______________________________________

Exército continua a limpar o local

A descontaminação do terreno onde será erguido o novo autódromo do Rio, em Deodoro, na Zona Oeste, continua. O exército, antigo proprietário da área, procura artefatos explosivos no terreno.

– Esta descontaminação vai terminar antes de produzirmos o EIA/Rima. Já poderíamos estar trabalhando em parte do terreno, mas, agora, vamos precisar terminar o estudo ambiental – disse o secretário nacional de Alto Rendimento, Ricardo Leyser.

Em 1958, paióis localizados no terreno do novo autódromo explodiram e espalharam artefatos por toda a região de Deodoro. Por isso, o exército está descontaminando o local para liberar a construção do autódromo.

– Estamos recuperando uma área degradada. Lá não é um paraíso onde colocaremos um autódromo. Vamos criar um parque, com um autódromo, em uma área degradada – afirmou Leyser.