icons.title signature.placeholder Marcello Vieira
21/04/2014
08:14

Foram apenas dois jogos e mudanças consideráveis. Os adversários não são grandes parâmetros. Entretanto, é inegável que o Fluminense sob o comando de Cristovão Borges parece estar mais encorpado.

Duas vitórias, oito gols marcados e nenhum sofrido. Contra Horizonte (CE) e Figueirense, saiu de cena uma equipe que deixava o adversário jogar. Por sua vez, assume o protagonismo um time que tem vocação ofensiva, pressiona o adversário e tenta atuar com a posse de bola. As chances aparecem naturalmente. Aí está o segredo.

– Trabalhamos o posicionamento e demos mais compactação ao time. Temos ótimas individualidades e é preciso um conjunto afinado para que elas apareçam. Não temos uma opção de velocidade e por isso precisamos de variações. Buscamos desestabilizar o rival com a posse de bola e subidas de nossos laterais. Jogamos no campo do adversário – explicou Cristovão.

E MAIS
- Cristovão Borges elogia torcida: 'Merece um agradecimento especial'

Na próxima quarta-feira, o Flu terá pela frente o Tupi, em Juiz de Fora. O jogo válido pela Copa do Brasil ainda não é o teste ideal, mas pode conferir ainda mais confiança ao time para o próximo desafio no Brasileirão. Este sim, no sábado, contra o Palmeiras, em São Paulo, na segunda rodada do Brasileiro, promete ser um grande teste.

– Sabemos que seremos exigidos de várias formas. Em dois jogos já evoluímos, mas seremos testados a cada jogo. As partidas contra adversários mais fortes serão boas para que a nossa equipe mostre o poder de superação – disse o técnico.

Os tricolores estão empolgados com o início de trabalho de Cristovão. Não poderia ser para menos. Afinal, após fracassar no Campeonato Carioca e passar por uma crise, enfim parece existir motivo para se ter esperança no Laranjal.