icons.title signature.placeholder João Pedro Marins e Luis Fernando Coutinho
07/11/2013
14:54

Campeão da primeira edição do TUF Brasil, Rony Jason está caminhando a passos largos na maior organização de MMA do planeta. O brasileiro encara Jeremy Stephens neste sábado, em Goiânia, pelo UFC Fight Night Combate: Belfort x Henderson, em busca de sua quarta vitória consecutiva pelo Ultimate. Em entrevista ao LANCE!Net, o lutador fez uma análise do seu próximo adversário e revelou que pretende buscar a finalização, mesmo se não conseguir derrubá-lo durante a luta.

- Ele (Stephens) só perdeu para os top 5 da categoria até 70kg. Então, é um cara muito duro. Lutou 3 rounds contra Anthony Pettis e Donald Cerrone. É um cara que não dá para ter moleza, tem que estar com o gás em dia. Ele tem um queixo duro, absorve muito bem os golpes, tem um gás bom e boas cotoveladas. Mas, todo mundo tem seu ponto fraco e vou trabalhar em cima disso. Tenho um bom jiu-jitsu, acredito que o wrestling dele é melhor que o meu, vai ser difícil derrubar, mas Toquinho é a prova viva de que não precisa derrubar para finalizar - comentou o brasileiro, em conversa com o L!Net.

A princípio, Rony Jason e Jeremy Stephens se enfrentariam no UFC de Barueri, que aconteceu no último mês de outubro. Mas, devido a uma érnea de disco, o brasileiro teve de abandonar o evento. Coincidentemente, logo depois da lesão do cearense, o americano também sofreu uma contusão em seu treinamento e foi retirado do card. Agora, um mês depois, o atleta da Team Nogueira agradece a oportunidade de finalmente poder enfrentar o veterano do Ultimate.

- Acho que Deus escreve certo por linhas tortas. Ele acabou se machucando e foi muito bonito da parte dele, muito homem, assumir também que estava lesionado. Graças à Deus, a luta está mantida e estou muito feliz de poder enfrentá-lo. Ele é um cara que, quando comecei a lutar MMA, ele já estava no UFC. É muito experiente, de muita bagagem e, independente de eu ganhar ou perder, tenho muito a aprender com essa luta - afirmou o atleta, que possui um cartel de 13 vitórias e três derrotas no MMA.

Em sua última luta pelo UFC, Rony venceu Wilkinson por finalização (FOTO: Wander Roberto/Inovafoto)

Enfrentando Stephens em Goiânia, Rony Jason realizará sua quarta luta consecutiva no Brasil. Em toda sua carreira, o brasileiro ainda não teve a oportunidade de atuar fora do país. Quando perguntado se fica mais a vontade ao lutar em casa, Rony analisou os dois lados da moeda, comentando que, apesar de ter vantagens, a pressão pela vitória é maior.

- Sempre falo que é bom e ruim ao mesmo tempo. É bom porque voce se desgasta menos, fica mais próximo dos amigos, da equipe e consegue levar mais gente para te ajudar no seu camp. E é ruim porque a cobrança é bem maior. Um brasileiro quando perde aqui no Brasil, todos brasileiros sentem. E sou um cara que tento não dar tristeza para as pessoas que querem ver um brasileiro vencer - concluiu o lutador.

Rony Jason (FOTO: Wander Roberto/Inovafoto)

Confira um bate-bola com Rony Jason:
Vencendo sua próxima luta, você acha que pegará um adversário top 10 da categoria depois?
Para mim, todos ali são top 10, independente de qual classificação o UFC determine. Infelizmente ele (Stephens) não está no top 10 no momento, eu também não estou, mas se colocarem um top 10 no meu caminho ou no dele, será sinônimo de luta dura.

Você gostaria de fazer um duelo de campeões do TUF com Diego Brandão?
Claro, ele é um cara duro, um cara cearense, nordestino. Acho que seria interessante para o Brasil inteiro, principalmente para o Nordeste. Seria muito bom para o Nordeste porque seriam dois campeões do TUF, os dois nordestinos, cearenses. Teria muito a acrescentar na parte do MMA nordestino, porque o foco aqui é no Rio de Janeiro, São Paulo e Sul. Podem botar a gente pra brigar lá, sair na mão, pois seria uma honra dividir o octógono com ele.

Após essa sua quarta luta no Brasil, você tem vontade de lutar no exterior?
Luto onde o UFC me colocar para lutar. Brigo aqui na calçada se eles mandarem. Mas, gostaria sim de ter uma oportunidade de fazer uma luta lá fora. Tenho fãs lá fora. Queria expandir mais, ser mais conhecido no mundo. Lutar fora do Brasil para saber como é. Acompanhei o Patricky Pitbull e vi que o carinho dos fãs é muito grande, os caras de lá valorizam muito.

Rony Jason e Jeremy Stephens abrem o card principal do UFC de Goiânia, que acontece neste sábado. O americano busca se estabilizar no Ultimate, vindo de vitória, após ter perdido três lutas seguidas. Na última luta da noite, Vitor Belfort encara Dan Henderson pela categoria meio-pesado. O evento será transmitido ao vivo pelo Canal Combate, a partir das 19h30.

UFC Fight Night Combate: Belfort x Henderson:
CARD PRINCIPAL
Vitor Belfort x Dan Henderson
Cezar Mutante x Daniel Sarafian
Rafael Feijão x Igor Pokrajac
Paulo Thiago x Brandon Thatch
Santiago Ponzinibbio x Ryan LaFlare
Rony Jason x Jeremy Stephens
CARD PRELIMINAR
Godofredo Pepey x Sam Sicilia
Thiago Bodão x Omari Akhmedov
Thiago Tavares x Justin Salas
Adriano Martins x Daron Cruickshank
José Maria Sem Chance x Dustin Ortiz