icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese
07/07/2014
08:05

A nova geração da Alemanha, que deu as caras na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, e parou na semifinal da Eurocopa de 2012, tenta dar ao país um título importante após 18 anos, quando o atacante Oliver Bierhoff liderou a seleção na conquista da Euro-96, diante da República Tcheca.

A base dessa equipe, porém, já nasceu campeã cinco anos antes de enfrentar o Brasil pela semifinal, às 17h desta terça-feira, no Mineirão. Em junho de 2009, seis jogadores (Neuer, Boateng, Hummels, Höwedes, Khedira e Özil) que serão titulares no duelo conquistaram o primeiro título do Campeonato Europeu Sub-21 na história da Alemanha. Uma vitória por 4 a 0 sobre a Inglaterra, no torneio que foi disputado na Suécia, acabou mudando o rumo do futebol alemão.

Dos seis jogadores, apenas Neuer e Özil haviam recebido uma chance de Joachim Löw em um amistoso. O goleiro foi o menos vazado, com apenas um gol sofrido. O meia, hoje líder da criação germânica, foi o líder de assistências do torneio. O sucesso dos jovens foi suficiente para Löw apostar nos garotos para o Mundial. Boateng e Khedira se juntaram a eles e apareceram na lista dos 23 na África. Hummels e Höwedes cavaram o espaço depois, mas já haviam aparecido para o mundo e mudariam o status em seus clubes.

O time alemão foi campeão da Europa sub-21 (Foto: divulgação)

De todos, apenas Höwedes ainda está no mesmo clube, o Schalke 04. Neuer e Boateng foram para o principal clube do país, o Bayern de Munique, enquanto Özil e Khedira chamaram a atenção do poderoso Real Madrid após a última Copa. Hummels, sem espaço no Borussia e emprestado ao Bayern, voltou e começou a virar referência no setor.

A Alemanha, que convive com o estigma de não ganhar nada faz tempo, tem um berço vencedor. A nova geração pode entrar para a história de novo. O Brasil que se cuide...


Mais garotos depois

Dos bons jovens da atualidade, outros ainda não tinham aparecido, como as joias do Bayern de Munique, Toni Kroos e Thomas Müller. Os dois jovens, ambo com 24 anos, são titulares incontestáveis do clube e da seleção de Löw.

A GERAÇÃO CAMPEÃ EM 2009

Neuer
Havia disputado apenas um amistoso com a seleção principal, dias antes do título. Com 23 anos, foi um dos "veteranos" da convocação no torneio sub-21. Na época, defendia o Schalke 04. Dois anos depois, após ser titular na Copa de 2010, foi vendido para o Bayern de Munique (ALE).

Boateng
Com 20 anos, a revelação do Hamburgo (ALE) despontava como um dos zagueiros promissores do país. Ele só estreou pela seleção principal em outubro do mesmo ano, em um duelo diante da Rússia. Depois, fez mais quatro jogos até ser convocado para a Copa de 2010 e ser titular da nova equipe de Joachim Löw.

Hummels
Também com 20 anos, zagueiro do Borussia não tinha espaço na equipe principal e era emprestado ao Bayern de Munique. Sua estreia na seleção principal só ocorreu em maio de 2010, mas ele ficou fora da lista para a Copa da África do Sul. Depois, de volta ao Borussia, começou a ser firmar para se tornar um dos maiores do país. No Brasil, disputa sua primeira Copa.

Höwedes
Revelado pelo Schalke 04, zagueiro já tinha 21 anos durante a competição. Nesta Copa, ele atua improvisado na lateral esquerda, já que Schmelzer não se recuperou de lesão a tempo. Sua primeira chance com Joachim Löw aconteceu apenas em maio de 2011, quase um ano após a Copa do Mundo da África.

Khedira
Com 22 anos, era outros dos "veteranos" do grupo. Era um dos destaques do Sttutgart e, mesmo após o título do sub-21, ganhou uma chance com Löw. Logo após a Copa, acertou com o poderoso Real Madrid (ESP), onde atua desde então.

Özil
Tinha apenas 20 anos e um amistoso pela seleção principal quando liderou os garotos ao título europeu. Na época, era destaque do Werder Bremen (ALE). Alguns jogos depois, foi convocado para a Copa, foi uma das revelações do Mundial e acabou no Real Madrid (ALE) ao lado de Khedira.

DO BRASIL, NENHUM JOGADOR

Se a geração de garotos de 2009 forma a base da Alemanha atualmente, a Seleção Brasileira sub-20 que sagrou-se campeã do Sul-Americano da categoria no mesmo ano não tem ninguém na Copa. O grupo tinha o atacante Walter, hoje do Fluminense, e Alan Kardec, que chegou a ficar entre os sete jogadores da "lista de espera" de Felipão. Foi a geração da base de 2011 da Seleção que rendeu dois jogadores: Neymar e Oscar.

SUB-20 DA SELEÇÃO BRASILEIRA EM 2009

Campeão 
Com até uma rodada de antecedência no hexagonal, o Brasil sagrou-se campeão do Sul-Americano sub-20. O zagueiro Rafael Toloi, o volante Sandro, os meias Giuliano, Douglas Costa e Éverton Ribeiro, além dos atacantes Dentinho, Walter (Fluminense) e Alan Kardec eram os mais conhecidos.
......................

Um na ‘espera’
De todos daquele elenco, apenas o atacante Alan Kardec ficou na lista dos 30 jogadores chamados por Felipão para a Copa. Ele, no entanto, ficou só na “lista de espera” e não teve chance de disputar o Mundial.

SUB-20 DA SELEÇÃO BRASILEIRA EM 2011

Neymar surge
A geração “aproveitada” pela Seleção atual é a de dois anos depois, que conquistou o Sul-Americano de 2011, em janeiro. Neymar, Lucas, Oscar e Philippe Coutinho lideraram a equipe que ainda tinha o atacante Diego Maurício, os volantes Casemiro e Fernando e os laterais Danilo e Alex Sandro (ambos ex-Santos). Vale lembrar que Neymar já havia debutado na equipe principal de Mano Menezes em 2010, mas foi aproveitado para a categoria se manter soberana.
......................

Apenas dois
Daquele grupo de três anos atrás, apenas Neymar e Oscar foram convocados para a Copa. Fernando e Lucas, que estavam na Copa das Confederações do ano passado, acabaram perdendo espaço e ficaram fora.