icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
26/11/2014
13:44

Uma nova fornecedora de material esportivo promete movimentar o mercado nos próximos anos. Após se aproximar do São Paulo, a Under Armour promete investir pesado para assumir uma das maiores potências mundiais. Segundo o jornal 'Mundo Deportivo, da Espanha, a empresa, fundada em 1996 nos Estados Unidos, pretende brigar com a Nike e Adidas pelo patrocínio do Barcelona.

De acordo com um relatório publicado pelo jornal Expansión, de Madri, Under Armour fechou 2013 com um lucro líquido de 120 milhões de euros (R$ 376 milhões), um aumento de 26% em relação ao ano anterior, e espera fechar 2014 com ainda mais receitas.

E MAIS
- Extraterrestre' Messi é ovacionado na Espanha. Veja os principais jornais
- Perto de vestir o São Paulo, Under Armour calça os pés de Ceni

ACTIVO
- Perto de fechar com o tricolor: Confira alguns modelos mais bonitos da Under Armour

A Nike possui contrato até 2018 com o Barcelona e não deve ceder facilmente às investidas de suas concorrentes. O vínculo é de 43 milhões de euros (R$ 134,8 milhões) anuais, o que dará até o fim do contrato 172 milhões de euros (R$ 539 milhões). Além da própria visibilidade do clube catalão em todo o mundo, os culés têm em seu elenco Lionel Messi, maior joia da rival Adidas.

Atualmente, o mercado principal da Under Armour é o americano. Mas quem pensa que a empresa não teria forças para brigar, principalmente, com Nike e Adidas, está enganado. A fornecedora ofereceu 285 milhões de dólares (R$ 715 milhões) por dez anos de patrocínio a Kevin Durant, astro do basquete americano. A contraproposta da Nike foi de 300 milhões de dólares (R$ 752 milhões) pelo mesmo período. A aparição da Under Armour fez a Nike desembolsar muito mais dinheiro do que inicialmente previsto para o contrato com o jogador.

NO FUTEBOL

E o foco no futebol veio com toda a força para a Under Armour. A marca tem o Tottenham (ING), o Colo Colo (CHI), Toluca (MEX) e Cruz Azul (MEX) como clientes no esporte. No Brasil, além do São Paulo, a empresa já deu seus primeiros passos para se firmar, já que Rogério Ceni e Luis Fabiano - ambos do Tricolor - usaram chuteiras produzidas por ela.

Recursos e esforços não vão faltar à Under Armour para concorrer com as gigantes do segmento. Agora, é preciso esperar para saber se terá fôlego e grana para competir com elas no futuro.