icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
21/11/2014
00:18

Mais uma vez, o time do Cruzeiro precisou de um puxão de orelha de Marcelo Oliveira para acordar em campo e sair das quatro linhas com a vitória. Na partida contra o Santos, o clube não se apresentou bem na etapa inicial, mas conseguiu o triunfo no segundo tempo. Já nesta quarta-feira, o Cruzeiro foi para os vestiários perdendo por 1 a 0, mas voltou com uma nova postura, o que implicou diretamente na virada em plena Arena do Grêmio, o que deixou a Raposa com as duas mãos na taça.

- A gente faz uma conversa no início do jogo, às vezes não dá para se reunir dentro do jogo, então é no intervalo que paramos, respiramos e podemos conversar. O Marcelo (Oliveira) fez um alerta e conseguimos dar um ritmo maior, incentivando nosso lado positivo - falou o zagueiro Léo.

- O Marcelo é sempre muito feliz nas mexidas, nas colocações que faz. Isso nos motiva, levamos para dentro de campo e não poderia terminar diferente. Essa é a sabedoria de um grande técnico que sabe motivar os jogadores - disse o volante Nilton.

Nos próximos sete dias, motivação deverá ser a palavra mais utilizada pelos cruzeirenses. A começar pela possibilidade mais que real do título brasileiro. Se conseguir o tetra neste domingo, o clube estará ainda mais empenhado em conseguir aquela que seria uma virada histórica diante do maior rival, Atlético-MG, na final da Copa do Brasil, já que as equipes se reencontram no Mineirão no próximo dia 26.