icons.title signature.placeholder Thiago Ferri
20/12/2013
14:59

Ocorreu nesta quinta-feira a última reunião em 2013 do Conselho de Orientação e Fiscalização (COF) do Palmeiras. Nela, o conselho aprovou o balancete de novembro apresentado pela diretoria, mas ouviu um discurso preocupado do presidente Paulo Nobre. Com dificuldades para contratar e renovar com atletas de olho no centenário, não há a esperança de grandes nomes para 2014, que já é tido como um "ano difícil". O membro do conselho diz que no clube não existe a preocupação de fazer um time campeão por ser o centenário, mas sim um elenco que seja "sustentável".

- Vai ser muito difícil, precisará de muita determinação para atingir as metas. Por aqueles valores que foram apresentados (ao Palmeiras), está tudo muito acima. O presidente (Paulo Nobre) está trabalhando para contratar, mas não há a preocupação de ser campeão no centenário. O que existe é a montagem para um time que renda frutos no futuro - explicou Alberto Strufaldi Neto, presidente do COF, ao LANCE!Net.

Um dos principais entraves para fazer o time do centenário está na proposta de contratos por produtividade. O técnico Gilson Kleina, o atacante Rodolfo, primeiro reforço de 2014, e Marquinhos Gabriel, meia-atacante próximo de acerto, foram os que toparam este projeto. Mas Bruno César, um dos principais alvos de olho na temporada que vem, já se mostrou contra a opção, assim como jogadores que precisam ter seus vínculos renovados - Vilson recebeu oferta assim.

- Ele (Nobre) diz que é algo ainda a ser compreendido, é uma renovação (a ideia de contrato por produtividade). O Paulo está determinado a cumprir metas - acrescentou Strufaldi.

Com a volta à Série A e a aproximação do aniversário de cem anos do clube, gerou-se na torcida a expectativa de que viessem grandes nomes para 2014, mas o mandatário já deu o recado: o clube não será refém do centenário. Na reunião, foi apresentado também o orçamento para o ano que vem, mas este ainda não foi aprovado pelo COF. Por conta de falta de tempo, o conselho voltará a se reunir em janeiro para definir se aprova a verba do centenário e, consequentemente, a encaminha para o conselho deliberativo dar seu parecer.