icons.title signature.placeholder Thiago Ferri
29/11/2014
19:45

Paulo Nobre foi reeleito como presidente do Palmeiras neste sábado. O atual mandatário viu a Mancha Alviverde, principal organizada do clube, protestar durante a manhã contra esta gestão, pedindo sua saída, mas garantiu a maioria do votos dos sócios: foram 2.411, contra 1.611 de seu opositor, Wlademir Pescarmona.

Embora cerca de 10 mil associados pudessem participar da primeira eleição direta da história dos clubes, pouco mais de quatro mil pessoas apareceram no pleito deste sábado, realizado no Ginásio Palestra Itália, localizado na sede social do clube. 

Mandatário entre 2013 e 2014, Nobre ficará no cargo em 2015 e 2016. O dirigente, assim como Pescarmona, ficou o dia todo no clube, e do lado de fora a Mancha pedia a saída do dirigente, com faixas, músicas e discurso da diretoria da organizada contestando as decisões desta gestão no futebol. Apesar das fortes críticas e das trocas de acusações entre os adversários durante a semana, o clima durante todo o dia foi tranquilo, assim como dentro do clube.

Aos 46 anos de idade, Nobre já avisou que faria mudanças no rumo do futebol caso se confirmasse seu novo mandanto. O diretor-executivo José Carlos Brunoro deve deixar o clube no fim do ano, e o gerente de futebol Omar Feitosa corre riscos - Rodrigo Caetano, do Vasco, é a primeira opção para cuidar do time em 2015. 

Apesar da forte expectativa pela primeira eleição direta na história do Verdão, o número de participantes foi abaixo do esperado. Neste novo mandato, Paulo Nobre seguirá com os quatro vices da atual gestão: Maurício Galiotte, Genaro Marino, Antonino Jesse Ribeiro e Victor Fruges.