icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/11/2013
18:12

Durante a entrevista em que confirmou a renovação de contrato com Gilson Kleina, Paulo Nobre falou sobre a tentativa de trazer Marcelo Bielsa, fato que incomodou o atual treinador na época em que as conversas foram reveladas pelo LANCE!Net. De acordo com o presidente do Palmeiras, foi oferecido ao argentino também um contrato por produtividade - ideia que ele tenta implantar para não pagar salários tão altos, baseados no ganho de bonificações por metas cumpridas.

- Ele está completamente fora da realidade do Palmeiras hoje, mas é claro que foi oferecido um contrato de produtividade para ele também - explicou o presidente.

José Carlos Brunoro chegou a viajar para a Argentina e tratar com "El Loco", mas não houve acordo. O argentino pediu cerca de US$ 5 milhões (R$ 11,65 milhões) por ano, livre de impostos. O técnico ganharia quase R$ 1 milhão por mês. Desde então, o clube passou a dizer que Kleina tornou-se a "primeira opção brasileira" para o cargo - só que o atual técnico ficou incomodado pela procura a Bielsa antes de ser informado sobre sua situação. Ainda assim, ele admitiu que analisou cerca de seis nomes para o cargo.

- É natural a ansiedade do torcedor que quer saber novidades do seu clube. Só que nós não podemos nos envolver. Quando você vai discutir um contrato, não adianta você ter pressa. Tratamos isso com muita tranquilidade. Eu nunca vi o Palmeiras interessado em tantos técnicos nos últimos dias, até mesmo nomes que nós nunca cogitamos. Nós avaliamos cinco, seis técnicos. Como presidente, tenho a obrigação de analisar todas as possibilidades, sem achar que o que está em casa é o mais fácil - completou.

De acordo com o clube, Gilson Kleina receberá agora R$ 200 mil, sendo que com bonificações os vencimentos podem chegar a R$ 400 mil. O estafe do comandante, porém, alega que ele seguirá com os R$ 300 mil mensais.