icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
18/11/2014
21:01

O volante Nilton falou ao programa Expediente Futebol da FoxSports sobre a reta final de temporada do Cruzeiro. O jogador explicou como o elenco celeste está lidando com as duas decisões em que está envolvido (Copa do Brasil e Brasileiro).

- Nós temos que saber separar as competições, logicamente. Sabemos que na nossa cabeça, não sai a decisão da Copa do Brasil: pela rivalidade, pelo momento dos dois times, pela chance de nos isolarmos como o clube com mais titulos da competição. É claro, vamos tentar sempre dar um passo de cada vez. No Brasileiro, temos que buscar um bom resultado contra o Grêmio. Sabemos que não vai ser fácil, ano passado perdemos por 3 a 1 lá. E aí, com a vitoria, quem sabe, podemos assegurar o título nesta rodada ou na próxima, contra o Goiás.

Sobre o porquê do Cruzeiro não estar mais "encantando" como estava na temporada passada e até no início deste Brasileirão, Nilton ressaltou que os adversários estudaram a maneira de jogar da equipe celeste, o que prejudicou o futebol do time.

- Não é facil uma equipe ser campeã brasileira duas vezes seguidas, é inedito para nossa equipe e para o clube Cruzeiro. É claro que nessa reta final, jogando dois campeonatos ao mesmo tempo, mesmo contando com uma equipe qualificada, fica difícil acompanhar essa "maratona". Os adversários vêm estudando cada vez mais nossa equipe, procurando nossos pontos negativos, diferentemente do ano passado, quando ninguém esperava que poderiamos dar aquela arrancada. Agora está tudo diferente, nossos adversários estão mais ligados. Esse fôlego a mais que estamos dando vem justamente de tentar encontrar algo novo para voltarmos a surpreender nossos adversários.

Sobre o esgotamento físico e mental que a equipe está passando, o volante apontou o foco e a união do time como as armas para seguir em frente.

- Teoricamente, a gente tenta sempre não desviar nosso foco. Uma equipe de alto nível como a nossa, que disputa título, tem que ganhar dentro e fora de casa. Temos que visualizar aquele ponto mais a frente, o último degrau, para concretizarmos nosso sucesso na temporada. O problema é que a cabeça, às vezes, acaba pensando na frente do corpo e aí o corpo não responde, por estar esgotado. E aí vem aquele incentivo, a força do grupo, a uniao do grupo. Somos uma familia e isso que está fazendo a diferença, um companheiro ajudando o outro. Vai ser dificil ate a ultima rodada, mas a gente pensa e quer entrar para a história do clube e nada melhor do que terminar a próxima rodada com o título.