icons.title signature.placeholder Michel Castellar
27/06/2014
19:58

Na tentativa de mostrar que todos os problemas foram superados, a Nigéria treinou na noite desta sexta-feira, no Centro de Capacitação Física do Corpo de Bombeiros. A seleção chegou a Brasília às 16h50 e duas horas depois já estava em preparação para a partida de segunda-feira, contra a França, pelas oitavas de final da Copa, no Estádio Nacional - Mané Garrincha.

Na quinta-feira, por causa do pagamento da premiação pela passagem às oitavas de final, os jogadores nigerianos cancelaram o treino previsto para Campinas, onde estavam concentrados, e ameaçaram uma greve. Mas a questão foi resolvida nesta sexta-feira e o pagamento, estima-se em US$ 15 mil (R$ 33 mil), será depositado na conta bancária dos jogadores.

- Pode ter ocorrido pequenas questões aqui e ali. Mas está tudo resolvido. Eu não falo sobre dinheiro, isso é entre os jogadores e a federação. Pode ter havido uma discussão sobre dinheiro na reunião, mas está absolutamente resolvido. O que passou, passou. Não há problema. Todos os pagamentos estão em dia. A atmosfera do time está ótima e estamos concentrados para o jogo - informou o assessor de imprensa nigeriano Ben Alaiya.

De acordo com Alaya, o único problema da equipe é o jogo contra a França. Por isso, a seleção, apesar de ter chegado tarde em Brasília, optou por fazer uma movimentação à noite, onde os 15 minutos iniciais puderam ser acompanhados pelos jornalistas.

Nesta Copa do Mundo, a seleção de Gana vivenciou episódio semelhante. Os jogadores ameaçaram não entrar em campo contra Portugal, pela última rodada do grupo G, enquanto o pagamento pela participação no Mundial não fosse efetuado e em espécie.

 

O governo ganês fretou um avião e os US$ 3 milhões (R$ 6,6 milhões) para toda a seleção aterrisou na quarta-feira em Brasília. No dia seguinte, Gana entrou em campo, mas foi derrotada por Portugal, por 2 a 1, e acabou eliminada da Copa.