icons.title signature.placeholder Michel Castellar
29/06/2014
22:00

Em abril, 276 adolescentes foram sequestradas na Nigéria como retaliação ao governo vigente. Um grupo rebelde de extremistas islâmicos do país, conhecido por "Boko Haram" (Educação Ocidental é proibida) raptou as meninas de uma escola.

Ao falar sobre como a seleção nigeriana consegue atuar e lidar com os problemas, o meia Mikel disse que o futebol pode ser o único instrumento capaz de diminuir os conflitos no país. E, por isso, a equipe deseja prosseguir na Copa do Mundo e vencer a França, na segunda-feira, às 13 horas, pelas oitavas de final da Copa do Mundo.

- Não devemos deixar que isso nos afete e continuar jogando. O futebol une a todos na Nigéria. E se continuarmos a vencer, o futebol pode trazer a unidade nas várias regiões onde existem problemas - disse Mikel, que classificou o rapto das adolescentes como uma tragédia.

O Boko Haram deseja criar um Estado Islâmico, onde a influência da cultura ocidental seria totalmente banida. O grupo militante radical prega que os muçulmanos não podem fazer parte de qualquer atividade relacionada ao Ocidente.

Usar calças, vestir camisas e mulher na escola é algo proibido. Por isso, as adolescentes foram sequestradas de dentro do colégio onde estudavam.