icons.title signature.placeholder Fábio Aleixo
24/11/2013
11:00

Nono colocado no grid, Felipe Massa fará neste domingo sua última corrida pela Ferrari, após oito temporadas e 138 porvas já disputadas. A partir do ano que vem ele defenderá a Williams, que faz um campeonato ruim e somou apenas cinco pontos após 18 etapas.

O que para muitos pode ser tido como um retrocesso na carreira é visto com bons olhos por Nicolas Todt, empresário do brasileiro desde seu início na Fórmula 1, em 2002 (pela Sauber), e filho de Jean Todt, presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

- Não há motivos para Felipe ficar triste. É um novo capítulo em sua carreira. Ele nunca esquecerá o que passou pela Ferrari, sejam os bons ou os maus momentos, mas é hora de buscar um novo desafio - disse Todt em entrevista ao LANCE!Net.

O empresário também refutou qualquer possibilidade de Massa levar dinheiro para o time britânico e afirmou que isso jamais foi negociado. Ele também fez uma ressalva quanto à chegada de patrocinadores na Williams levados pelo brasileiro.

- Eu ouvi muitos rumores errados. Felipe é profissional e será pago pelo que faz. Se acontecer de uma empresa brasileira patrocinar a Williams será algo normal, nada previsto em contrato. Na Fórmula 1, é comum a empresa de um país apoiar uma equipe que conte com um representante desta nação - disse Todt.

Ao longo de sua trajetória na Ferrari, Felipe Massa obteve 11 vitórias e ficou com o vice-campeonato mundial de 2008, quando acabou superado por Lewis Hamilton.

Em 2010, envolveu-se na maior polêmica na passagem pela escuderia italiana, quando atendeu ao pedido da direção e permitiu a ultrapassagem de Fernando Alonso no Grande Prêmio da Alemanha. Na ocasião, o espanhol, que brigava pelo título, ficou com a vitória e o brasileiro terminou em segundo.

- Teve épocas que Felipe mereceu tirar nota dez e, em outras, nota cinco. Foi uma boa parceria entre ele e a Ferrari. Por isso que durou tanto tempo. Este fim de semana é especial e muito emotivo para ele. A Ferrari é um time único no mundo da Fórmula 1 - atestou.

Sobre as expectativas para 2014, ele demonstrou otimismo:

- A Williams não fez um belo trabalho neste ano. Mas, em 2014, teremos um novo regulamento. Espero que as coisas conspirem a favor.