icons.title signature.placeholder Ivo Felipe, enviado especial
icons.title signature.placeholder Ivo Felipe, enviado especial
29/07/2013
17:14

Após marcar 23s21 e ficar com a quarta colocação na prova dos 50m borboleta do Mundial de Esportes Aquáticos de Barcelona, o brasileiro Nicholas Santos explicou sua queda de rendimento na piscina. Ele teve uma boa saída e chegou a liderar a prova vencida por Cesar Cielo, que marcou 23s01.

- Na chegada, eu estava meio alongado. Acabei deslizando e batendo na parede na diagonal, abaixo da placa, em vez de bater em linha reta. Perdi tempo com isso. Saio do Mundial com o primeiro tempo do mundo na prova, mas sem medalha - disse Nicholas, que fez o melhor tempo mundial do ano na semifinal, com 22s81.

Quando retornar ao Brasil, Nicholas não vai ter muito tempo para descansar. De 12 a 17 de agosto, ele vai defender o seu clube, a Unisanta, no Troféu José Finkel, em São Paulo. Em seguida ele vai focar nos Jogos Olímpicos de 2016, o que deve ser sua última competição:

- Aí, sim, encerro minha carreira. Tenho contrato com a Unisanta até 2016. E isso me dá a segurança de seguir com a mesma estrutura de treino, com o mesmo técnico, com o programa que eu venho fazendo.

Após marcar 23s21 e ficar com a quarta colocação na prova dos 50m borboleta do Mundial de Esportes Aquáticos de Barcelona, o brasileiro Nicholas Santos explicou sua queda de rendimento na piscina. Ele teve uma boa saída e chegou a liderar a prova vencida por Cesar Cielo, que marcou 23s01.

- Na chegada, eu estava meio alongado. Acabei deslizando e batendo na parede na diagonal, abaixo da placa, em vez de bater em linha reta. Perdi tempo com isso. Saio do Mundial com o primeiro tempo do mundo na prova, mas sem medalha - disse Nicholas, que fez o melhor tempo mundial do ano na semifinal, com 22s81.

Quando retornar ao Brasil, Nicholas não vai ter muito tempo para descansar. De 12 a 17 de agosto, ele vai defender o seu clube, a Unisanta, no Troféu José Finkel, em São Paulo. Em seguida ele vai focar nos Jogos Olímpicos de 2016, o que deve ser sua última competição:

- Aí, sim, encerro minha carreira. Tenho contrato com a Unisanta até 2016. E isso me dá a segurança de seguir com a mesma estrutura de treino, com o mesmo técnico, com o programa que eu venho fazendo.