icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/03/2014
13:33

O brasileiro Neymar foi um dos grandes destaques do Barcelona na vitória por 3 a 0 nesta quarta-feira sobre o Celta. O craque fez dois gols, e pelo menos momentaneamente calou várias críticas que vinha recebendo por causa de sua má fase, principalmente depois da fraca atuação contra o Real Madrid. O holandês Johan Cruyff foi um que "descascou" o camisa 11. E mais que brilhar, mostrou que a dupla com Messi pode sim trazer resultados.

Na vitória, dois gols do brasileiro, e um de Messi. Mas de fato, a parceria tem momentos de altos e baixos. Durante certa fase da temporada, nem existiu, já que ambos tiveram lesões e ficaram sem jogar. No início, começou a render muito bem. Nas primeiras partidas de Neymar pelo Barcelona, ele foi um grande garçom. Até agora, já são 11 passes para gol, enquanto o argentino balançou as redes 35 vezes em 2013/14.

Assaf: Neymar precisa de mais tempo para deslanchar no Barça

Além do jogo contra o Celta, a parceria funcionou bem em algumas outras partidas, como principalmente nas contra Valencia (três gols de Messi, um passe de Neymar), Sevilla (um gol de Messi, um passe de Neymar), Ajax (três gols de Messi, um passe de Neymar) e Real Sociedad (um gol de casa, e um passe de Messi). Poucos ainda, mas suficiente para dar esperança.

Muito disso por diversos fatores. O primeiro deles é a falta de sequência, já que ambos tiveram lesões e perderam. Por acaso (ou não), o melhor período de Neymar no Barcelona foi justamente durante a ausência do argentino. Mas com o camisa 10 em campo, Tata Martino já fez diversas mudanças no esquema tático, o que parece ter causado certa confusão na cabeça do brasileiro em alguns momentos.

Já jogou centralizado como falso 9, pelos dois lados, destas duas formas formando trio de ataque, também já fez dupla, e nem sempre se encontra. Contra o Real Madrid, pela direita, não brilhou. Contra o Celta, foi para a esquerda, aonde sempre se sente mais confortável, e voltou a jogar bem.